EPE Publica a Resenha da Abril do Mercado de Energia Elétrica – Mês base Março

O consumo nacional de eletricidade foi de 43.447 GWh em março de 2021, elevação de 6,0% em relação a março de 2020. Foi a maior taxa de consumo desde março de 2014 e o maior valor de consumo total registrado desde o início da série histórica da EPE, em 2004. Enquanto que, o consumo acumulado em 12 meses totalizou 478.339 GWh, retração de 0,5% comparada ao período de 12 meses anterior.

Todas as regiões geográficas do Brasil apresentaram alta no consumo de energia elétrica em março desse ano: Sudeste (+8,4%), Nordeste (+4,6%), Sul (+3,9%), Norte (+3,3%) e Centro-Oeste (+1,5%).

A classe industrial (+11,3%) apresentou a maior taxa de crescimento do consumo desde agosto de 2010 e registrou o maior consumo (15.685 GWh) desde dezembro de 2013. A classe tem apresentado taxas positivas desde agosto de 2020. O Sudeste (+12,1%) impulsionou a expansão do consumo industrial, adicionando 914 GWh neste mês, em relação a março de 2020. Já a região Norte (+13,1%) foi a que apresentou a maior taxa de crescimento. Demais regiões também elevaram seus consumos. Nos ramos da indústria, observa-se expansão do consumo disseminada entre todos os dez segmentos mais eletrointensivos. Conforme ocorre desde setembro do ano passado, metalurgia (+517 GWh; +15,8%) e produtos minerais não metálicos (+182 GWh; +18,2%) lideraram a classe. O bom desempenho em produtos minerais não metálicos está em linha com o aumento de 34,6% nas vendas de cimento em março, em comparação com igual período do ano anterior. Segundo o SNIC, os principais indutores do desempenho continuam sendo as condições climáticas favoráveis, a manutenção das obras imobiliárias e a autoconstrução, que ainda desempenha um papel relevante nas vendas de cimento. A expansão do consumo em metalurgia foi dividida entre metais não-ferrosos, em especial alumínio primário, e siderurgia. Segundo o Instituto Aço Brasil, em março de 2021 as vendas internas avançaram 41,9% em relação ao mesmo mês do ano passado, atingindo 2,1 milhões de toneladas, o melhor desempenho desde outubro de 2013. O Instituto Aço Brasil registra que a indústria brasileira do aço vem de forma recorrente aumentando suas vendas ao mercado interno, com volumes superiores ao período pré-pandêmico, atribuindo esta demanda a retomada dos setores consumidores e a formação de estoques defensivos à volatilidade do mercado ocasionado pelo aumento nos preços das commodities. 

A classe residencial (+6,1%) registrou alta no consumo de energia elétrica em março. Todas as regiões tiveram aumento de consumo na classe, com destaque para as regiões Sudeste (+7,0%) e Sul (+7,2%). Temperaturas acima da média e clima mais seco em parte do território nacional contribuíram para o desempenho da classe no mês. No Sudeste, os estados do Rio de Janeiro (+9,5%) e São Paulo (+7,4%) foram os maiores destaques da região. Já, na região Sul, os estados de Santa Catarina (+14,2%) e Paraná (7,8%) puxaram a alta da classe no mês. A região Norte (+1,2%) continua sob a influência das chuvas acima do normal nos estados do Amazonas (-16,5%) e Acre (-0,1%).

A classe comercial (+1,4%) mostrou o primeiro resultado positivo na taxa de variação do consumo, depois da queda apresentada durante todo o ano de 2020. A região Sudeste (+6,9%) foi a única que anotou elevação no consumo no mês de março, que foi somente puxado pelo estado São Paulo (+14,0%). A temperatura mais elevada e a falta de chuvas em São Paulo contribuíram para o aumento substancial do consumo de energia elétrica no setor no estado. Apesar das outras regiões Norte (-9,5%), Centro-Oeste (-6,0%), Nordeste (-5,0%) e Sul (-2,1%) apresentarem retração no consumo da classe, a queda foi mais branda do que a registrada em fevereiro desse ano. No Sul, o destaque foi a expansão do consumo em Santa Catarina (+11,7%). Porém, expurgado o efeito do ciclo maior de faturamento, o aumento verificado no mês seria em torno de 6,8%.

Referente às modalidades de contratação de energia, tanto o mercado livre (+14,1%), quanto o consumo cativo das distribuidoras de energia elétrica (+1,8%), apresentaram expansão em março de 2021 em comparação com igual período no ano anterior. Ambas as modalidades registraram bons resultados, enquanto o mercado cativo anotou a primeira taxa positiva desde novembro do ano passado, o mercado livre registrou a maior taxa de expansão desde abril de 2018.

Clique nos links para acessar a Resenha Mensal e o Podcast com a Analista de Pesquisa Energética Lena Santini Souza Menezes Loureiro.​


Notícias Relacionadas

EPE divulga o Relatório Anual Integrado 2020

05/05/2021 - De acordo com a Lei nº 13.303/2016, popularmente conhecida como “Lei das Estatais”, a divulgação anual de relatório integrado é obrigação prevista para todas as empresas estatais federais, como é o caso da EPE.

EPE Publica Informe sobre o Resultado do Leilão dos Sistemas Isolados

04/05/2021 - Foi realizado nesta sexta-feira (30/04/21), o Leilão para suprimento aos Sistemas Isolados de 2021, objeto da Portaria MME nº 341, de 11/09/2020. O certame resultou na contratação de 23 empreendimentos de variadas fontes, localizados em 5 estados da federação, totalizando mais de 127 MW de potência instalada.

EPE lança o Informe Técnico – Banco de Preços de Referência da ANEEL: Atualização dos Valores para a Data-Base Março de 2021

30/04/2021 - Este Informe Técnico tem o objetivo de disponibilizar uma versão atualizada do Banco de Preços de Referência de que trata a Resolução Homologatória ANEEL nº 2.514/2019 e a Resolução Homologatória ANEEL nº 2.549/2019 (data-base: julho de 2017) considerando a data-base de março de 2021.

EPE publica relatório em inglês sobre preço de realização dos combustíveis

27/04/2021 - RIO DE JANEIRO – Com o objetivo de ampliar a acessibilidade às publicações da EPE, a empresa realiza a publicação de relatório em língua inglesa sobre preço de realização. Em sua versão em língua portuguesa, este relatório faz parte da Série de Formação de Preços dos Combustíveis e explicita os itens que fazem parte da estrutura de preços dos derivados de petróleo, buscando explicar seu significado e contribuir para uma melhor compreensão dos motivos de suas oscilações no mercado nacional

EPE, ONS e ANEEL divulgam Nota Técnica com Margens de Capacidade para Escoamento de Energia Elétrica para os Leilões de Energia Nova A-3 e A-4 de 2021

26/04/2021 - A Empresa de Pesquisa Energética - EPE divulga as Notas Técnicas do Operador Nacional do Sistema (ONS), contendo os quantitativos da capacidade de escoamento de energia elétrica de todos os barramentos da Rede Básica, DIT (Demais Instalações de Transmissão) e ICG (Instalações Compartilhadas de Geração) indicados pelos empreendedores no Sistema AEGE no ato do cadastramento dos Leilões de Energia Nova A-3 e A-4 de 2021.