Nota Técnica “Impactos socioeconômicos dos Cenários de Demanda de Etanol via Matriz Insumo Produto”

Seguindo a linha de estudos que emprega a metodologia da Matriz Insumo Produto - MIP para avaliar o impacto socioeconômico do consumo de combustíveis, visa-se contribuir para as discussões dos desdobramentos da política energética nacional, de forma que se conjugue a diversificação e o equilíbrio no uso dos recursos (fósseis ou renováveis), garantindo a segurança no abastecimento e o alinhamento às políticas ambientais.

Para tanto, o documento utiliza variações na demanda de combustíveis do ciclo Otto, aliado ao emprego da MIP, a partir das contas nacionais, para avaliar os impactos socioeconômicos do estímulo à demanda de etanol, por meio de políticas públicas e adotando o estudo Cenários de Oferta de Etanol e Demanda do ciclo Otto da EPE.

Ano 2023

O documento estima a os impactos sobre atividade econômica, renda e emprego até o horizonte de 2033, a partir da contribuição do setor sucroenergético, e, também contempla os desdobramentos sobre a importação de gasolina A.

Ano 2022

​O documento estima a os impactos sobre atividade econômica, renda e emprego até o horizonte de 2032, a partir da contribuição do setor sucroenergético, e, também contempla os desdobramentos sobre a importação de gasolina A. 

Ano 2021

​A edição deste ano, de lançamento, contempla explicações sobre a metodologia da matriz insumo produto e os multiplicadores adotados, os cálculos dos impactos totais sobre a atividade econômica, a renda, o emprego, e a importação de gasolina A. As projeções consideram o efeito da pandemia de Covid-19, especialmente observado no curto prazo