EPE publica os Fatos Relevantes da Indústria do Óleo & Gás de outubro de 2021

Os preços do Brent ultrapassaram US$ 85/b, maior patamar desde outubro de 2018. Os preços se elevaram no começo do mês com a decisão da Opep+ de manter os aumentos graduais de sua produção para novembro. A trajetória de alta intensificou-se durante o mês, com a redução dos níveis de estoques de petróleo, o aumento da demanda corrente e projetada por seus derivados, além da indicação pela Opep+ de que os aumentos poderiam se manter graduais também em dezembro. 

A competição entre Europa e Ásia por cargas de GNL pressionou os preços internacionais de gás natural acima de US$ 30/MMBtu, com um pico histórico de valores entre US$ 55 e 57/MMBtu. Isso manteve as exportações dos EUA em nível elevado, com Henry Hub a US$ 5,51/MMBtu. Diversos países tomaram medidas governamentais para lidar com estes aumentos de preços e para garantir seu suprimento de GNL. Japão anunciou desenvolvimento de metodologia para medição de GEE na cadeia de GNL. Catar iniciou construção de megaterminal de GNL, de 32 Mtpa. 

No setor de gás natural brasileiro, a ANP aprovou as tarifas aplicáveis ao serviço de transporte extraordinário para o ano de 2022 para a TAG e a NTS. A Copergás inaugurou um projeto de GNL em pequena escala junto à New Fortress Energy. 

No setor petrolífero brasileiro, a 17ª Rodada de Licitações atraiu apenas duas empresas que arremataram cinco dos 92 ativos colocados à venda, arrecadando R$ 37 milhões, menor valor desde a 5ª Rodada em 2003. A despeito disso, a TotalEnergies prometeu intensificar seus investimentos em #E&P no Brasil, e o edital do Leilão dos Excedentes da #CessãoOnerosa foi publicado. No downstream, os preços de combustíveis continuaram a apresentar alta, e a elevada demanda por distribuidoras causou a recusa de atendimento completo pela Petrobras. Além disso, alguns processos de desinvestimento em refinarias não lograram êxito, e as exportações de petróleo brasileiro para a China se reduziram.

Clique aqui e confira!

Notícias Relacionadas

EPE publica Estudo de Alternativas para Suprimento a Fernando de Noronha

06/12/2021 - Fernando de Noronha é um paraíso natural que atrai um grande número de turistas todo ano. A ilha é considerada um Sistema Isolado do ponto de vista elétrico, pois não está conectada ao Sistema Interligado Nacional (SIN). Nesse sentido, a geração de energia elétrica no local é realizada a partir de uma usina termelétrica a óleo diesel. Conforme estudos de Planejamento dos Sistemas Isolados conduzidos pela EPE, a partir das informações disponibilizados pelas distribuidoras, está previsto um importante crescimento da carga da ilha nos próximos anos, o que deverá resultar na necessidade de expansão do atual parque gerador.

EPE e MME publicam o Caderno de Gás Natural do PDE 2031

01/12/2021 - No horizonte de 2021 a 2031, as previsões de oferta de gás natural no Brasil se mantiveram otimistas, dadas as perspectivas trazidas pelo Novo Mercado de Gás para o setor e o novo marco setorial consolidado com a Nova Lei do Gás e seu Decreto Regulamentador.

Resenha Mensal: O consumo de eletricidade no Brasil em outubro de 2021 apresentou recuo de 0,5% em relação ao mesmo mês de 2020

30/11/2021 - O consumo nacional de eletricidade em outubro foi de 42.621 GWh, recuo de 0,5% em comparação com mesmo período de 2020 e o primeiro mês em 2021 com retração, na comparação interanual. Ainda assim, outubro anota o segundo maior consumo de 2021. Responsável pela retração no mês, a redução do consumo nas residências superou a expansão no comércio e na indústria. O consumo acumulado em 12 meses totalizou 498.769 GWh, expansão de 5,1% comparado ao período anterior.

Webinar - Lançamento do Zoneamento Nacional de Recursos de Óleo e Gás Ciclo 2019-2021

30/11/2021 - O lançamento da sexta edição do estudo Zoneamento Nacional de Recursos de Óleo e Gás já tem data marcada: 13/12/2021, às 18h. O Estudo contínuo realizado em ciclos bianuais pela EPE, é uma importante ferramenta que apoia o Ministério de Minas e Energia (MME) na elaboração do planejamento energético, e completa em 2021, 10 anos de publicação.

Carga de energia deve crescer em média 3,4% por ano no período de 2022 a 2026

30/11/2021 - Em 2022, a projeção é de aumento de 2,7%, considerando alta de 1,3% no PIB A Empresa de Pesquisa Energética – EPE, o Operador Nacional do Sistema Elétrico – ONS e a Câmara de Comercialização de Energia Elétrica – CCEE divulgaram hoje, 30 de novembro, os dados da previsão de carga para o Planejamento Anual da Operação Energética - Ciclo 2022 (2022-2026). Para o período 2022-2026, a expectativa é de um crescimento médio da carga de 3,4% por ano. Em 2022, a projeção é de aumento de 2,7%, considerando alta de 1,3% no Produto Interno Bruto – PIB.