Resenha Mensal: O consumo de eletricidade no Brasil em fevereiro de 2021 apresentou avanço de 1,1% em relação ao mesmo mês de 2020

A demanda de energia elétrica no Brasil em fevereiro de 2021 totalizou 41.214 GWh, alta de 1,1% em relação ao mesmo mês do ano anterior. Já o consumo acumulado em 12 meses foi de 475.909 GWh, representando uma queda de 1,1%, comparado ao período anterior.

Entre as regiões geográficas, Nordeste (+3,1%) e Sudeste (+2,1%) apresentaram expansão no consumo de eletricidade em fevereiro de 2021, enquanto Norte (-2,8%), Centro-Oeste (-1,1%) e Sul (-0,6%) mostraram retração no consumo.

A classe industrial (+4,4%) apresentou a maior taxa de crescimento do consumo para o mês de fevereiro desde 2011. A classe apresenta taxas positivas desde agosto de 2020. O aumento do consumo na indústria continua puxado pelas regiões Sul (+6,0%) e Sudeste (+5,2%), o que vem ocorrendo desde dezembro com estas duas regiões se alternando na liderança dos índices de crescimento. Nos ramos da indústria, observa-se avanço do consumo disseminado entre os mais eletrointensivos em fevereiro, excetuando-se produtos alimentícios (-26 GWh; -1,4%). Conforme ocorre desde setembro do ano passado, metalurgia (+208 GWh; +6,6%) e produtos minerais não metálicos (+99 GWh; +9,8%) lideraram a expansão, mas em fevereiro foram acompanhados de perto por produtos químicos (+96 GWh; +6,8%).

A classe residencial (+3,4%) também apresentou crescimento no consumo de energia elétrica em fevereiro, puxado pelas regiões Nordeste (+6,5%) e Sudeste (+5,2%). No Nordeste, o Estado do Ceará (+15,7%) foi o que registrou a maior alta no consumo. Somente, o Estado do Sergipe (-0,7%) anotou uma ligeira queda. No Sudeste, todos os Estados tiveram aumento na demanda de eletricidade em fevereiro, sendo que Rio de Janeiro (+7,0%) e São Paulo (+5,4%) foram os maiores destaques da região. As temperaturas mais elevadas contribuíram para o aumento do consumo de eletricidade nesses Estados. A região Norte (+0,7%) apresentou uma branda elevação no consumo no mesmo mês. Já as regiões Sul (-2,0%) e Centro-Oeste (-0,6%), tiveram baixa no consumo de eletricidade no setor.

Por outro lado, a classe comercial (-7,3%) ainda registra queda no consumo de energia elétrica em fevereiro, porém menor do que a média dos últimos dozes meses. O setor de comércio e serviços continua sendo o mais afetado pelas medidas de distanciamento social decorrente da pandemia da COVID-19. Todas as regiões do país tiveram recuo no consumo de energia da classe. As regiões Norte (-15,5%) e Centro-Oeste (-9,3%) foram as regiões que tiveram as maiores retrações do consumo. O desempenho da região Norte foi influenciado pela queda dos consumos de energia elétrica nos Estados do Amazonas (-35,1%), Rondônia (-21,2%) e Acre (-17,0%), os quais foram afetados por chuvas acima do normal no período ou até por inundações em algumas localidades. No Centro-Oeste, os Estados do Mato Grosso do Sul (-15,7%) e do Mato Grosso (-10,4%) foram os que mais puxaram o comportamento da região no mês de fevereiro.

Referente às modalidades de contratação de energia, tanto o mercado livre (+8,3%), quanto o consumo cativo das distribuidoras de energia elétrica -2,5%), apresentaram expansão em fevereiro. 

Quanto às modalidades de contratação de energia, o mercado livre apresentou crescimento de 8,3% no mês, enquanto o consumo cativo das distribuidoras de energia elétrica diminuiu 2,5%.

Clique nos links para acessar a Resenha Mensal e o Podcast com a Analista de Pesquisa Energética Lena Santini Souza Menezes Loureiro.​

Notícias Relacionadas

Relatório do Estudo de Suprimento às Regiões de Açailândia, Buriticupu, Vitorino Freire e Dom Eliseu

19/10/2021 - O Relatório R1 EPE-DEE-RE-022/2021-rev0 recomenda um conjunto de reforços estruturais para atendimento às regiões de Açailândia, Buriticupu e Vitorino Freire, no estado do Maranhão e Dom Eliseu no estado do Pará. O suprimento elétrico dessas regiões é realizado atualmente por sistemas com características radiais, com elevada extensão e que se originam das subestações de fronteira de Imperatriz, Miranda II, Marabá e Peritoró.

Presidente da EPE participa do ENASE 2021

15/10/2021 - O presidente da EPE, Thiago Barral, participou da 18ª edição do ENASE 2021 – Encontro Nacional dos Agentes do Setor Elétrico. Este ano, o tema foi “O Setor Elétrico Brasileiro e a Transição Energética: Desafios e Oportunidades”. Em formato virtual, o evento trouxe a oportunidade de falar sobre o contexto de escassez hídrica e o futuro das hidrelétricas, o papel das fontes renováveis e das termelétricas, os custos para o consumidor e a reforma e abertura do mercado.

Webinar - Transporte Rodoviário de Cargas no Brasil: Avançando com eficiência

15/10/2021 - A Agência Internacional de Energia (IEA), o Ministério de Minas e Energia (MME) e a Empresa de Pesquisa Energética (EPE) convidam para o webinar: Transporte Rodoviário de Cargas no Brasil: Avançando com eficiência O webinar será realizado em inglês na quinta 28 de Outubro das 10:00-11:15 (Brasília, UCT-3) / 15:00-16:15 (Paris, UTC+2) via Zoom da sede da IEA em Paris, França.

EPE publica Projeções dos Preços dos Combustíveis Líquidos para Atendimento aos Sistemas Isolados e Usinas da Região Sul em 2022.

14/10/2021 - A EPE elaborou Nota Técnica com os cálculos e as premissas que embasaram as projeções, para o ano de 2022, dos preços dos combustíveis líquidos usados na geração de energia elétrica em Sistemas Isolados e usinas da Região Sul, a fim de dar suporte à Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE) nas estimativas de previsão orçamentária da Conta de Consumo de Combustíveis (CCC).

Caso Base do Procedimento Competitivo Simplificado de 2021 - Cálculo das Garantias Físicas

08/10/2021 - A Empresa de Pesquisa Energética – EPE disponibiliza, na área de leilões de energia, o caso base com os arquivos de dados para o modelo NEWAVE, utilizados no cálculo das Garantias Físicas de Energia dos empreendimentos com previsão de despacho centralizado, para participação no Procedimento Competitivo Simplificado de 2021.