MME e EPE publicam novo caderno do PDE 2032: Eletromobilidade

A eletrificação do transporte rodoviário no Brasil deve expandir-se continuamente ao longo da próxima década, avançando de forma significativa em certos nichos de aplicação. A penetração de motorizações alternativas no licenciamento de novos veículos semileves e leves, para uso com o transporte cargas, deve ser particularmente elevada, alcançando, em 2032, cerca de 20% para elétricos e 15% para híbridos. Contribuem para isso a eletrificação de nichos como da entrega em última milha, estimulada por compromissos ESG de grandes empresas, e por crescentes restrições às emissões e à circulação de veículos poluentes em áreas urbanas, principalmente metrópoles.

A eletrificação de frotas de transporte público de massa também deve ancorar a disseminação da eletrificação em ônibus, elevando as projeções de licenciamentos de veículos elétricos novos para cerca de 10% em 2032. A compra de ônibus elétricos a bateria anunciada por cidades como São Paulo, São José dos Campos e Salvador fundamentam essa projeção. Observa-se que a eletrificação ainda enfrenta barreiras no curto prazo, especialmente em função do preço de aquisição dos ônibus e da infraestrutura de carregamento.

Os licenciamentos de automóveis elétricos privados devem ser inicialmente limitados aos segmentos de maior renda, em função dos níveis de renda, do comprometimento da renda com o serviço da dívida, e dos patamares de preços de veículos novos. Para caminhões semipesados e pesados, a significância do peso e do custo das baterias torna a eletrificação mais difícil e onerosa, restringindo sua aplicação para distâncias menores. Há oportunidade para outras tecnologias, como a hibridização e o gás natural (tanto comprimido, como liquefeito). No entanto, projeta-se que a motorização a diesel permaneça com cerca de 95% do total de licenciamentos em 2032.

O presente caderno também realiza uma abordagem do contexto internacional, explicando como subsídios governamentais e investimentos públicos e privados em veículos e redes de carregamento estão promovendo a expansão da eletrificação, especialmente nos EUA, na Europa e na China. No entanto, a eletrificação mais maciça nos países desenvolvidos tende a pressionar a oferta de materiais críticos, levantando questões sobre garantia de oferta, divergências geopolíticas, e de concentração da produção e processamento. O desequilíbrio entre oferta e demanda tende a se refletir nos preços, dificultando a adoção generalizada da eletrificação. 

O Brasil não sofre as mesmas pressões que outros países para eletrificar rapidamente sua frota pois é relativamente pouco dependente de importações de energia; possui um mercado de biocombustíveis bem estabelecido, com atividade econômica e empregos bastante relevantes; não tem a mesma demanda emergencial por redução da poluição local, embora haja oportunidades de melhoria; e os recursos para subsidiar veículos elétricos disputam espaço com outras medidas para promoção de crescimento e distribuição de renda.

 Clique aqui e acesse o Caderno de Eletromobilidade do PDE 2032.

Notícias Relacionadas

EPE lança plataforma para dar transparência de dados dos Sistemas Isolados e suporte para implementação do Programa Energias da Amazônia do Ministério de Minas e Energia.

01/03/2024 - A Empresa de Pesquisa Energética (EPE), lançou, nessa quinta-feira (29/02), o Portal de Acompanhamento dos Sistemas Isolados (PASI), em sua versão inicial. A nova ferramenta tem como objetivo centralizar a divulgação dos dados de planejamento dos Sistemas Isolados, unificando as informações entre os órgãos em cumprimento à diretriz estabelecida pelo Ministério de Minas e Energia pela A Portaria MME nº 59/2022.

Boletim interativo da Energia Eólica e atualização dos dados abertos do Sistema AMA

23/02/2024 - O Boletim da Energia Eólica é publicado desde junho de 2014, apresentando índices mensais que caracterizam o recurso eólico no país a partir de dados do Sistema AMA (Sistema de Acompanhamento de Medições Anemométricas).

Sistema AMA – Atualização da Lista de Equipamentos Aceitos

09/02/2024 - A EPE publica a atualização dos Equipamentos aceitos no Sistema AMA – Sistema de Acompanhamento de Medições Anemométricas. Novos equipamentos que constam da lista já podem ser cadastrados no Sistema.

EPE e MME divulgam a programação de estudos de planejamento da transmissão para 2024

07/02/2024 - Programação prevê 30 levantamentos que contemplarão todas as regiões do Brasil, incluindo conexão de cargas de hidrogênio.

Resenha Mensal: temperaturas elevadas impulsionam o consumo de eletricidade em dezembro e bate recorde histórico pelo terceiro mês consecutivo

31/01/2024 - A mais recente edição da Resenha mostra que o consumo nacional de energia elétrica foi de 47.170 GWh em dezembro de 2023, alta de 9,1% em comparação com dezembro de 2022, o terceiro recorde consecutivo de consumo em toda a série histórica, desde 2004. Assim como em outubro e novembro, impulsionados pelas ondas de calor, os consumos das classes residencial e comercial registraram taxas de expansão de dois dígitos.