EPE apresenta Estudo com contribuições sobre a proposta de flexibilização do modelo de comercialização de etanol hidratado no Brasil

A Resolução CNPE nº 12, de 4 de junho de 2019, traçou como de interesse da política energética nacional o fomento à livre concorrência na atividade de abastecimento de combustível no Brasil. Uma das alternativas em discussão é precisamente a proposta de flexibilização do regime de comercialização do etanol hidratado, que passaria a admitir a venda direta entre produtores e postos de revenda.

Em função da relevância do tema, que tem motivado debates desde o ano passado no Congresso Nacional, a EPE tem se debruçado sobre esta questão em particular, e procurou realizar uma avaliação preliminar sobre os impactos da venda direta de etanol hidratado. O resultado deste trabalho, iniciado em janeiro de 2019, é a publicação deste estudo que visa contribuir para o debate sobre a proposta de flexibilização da sistemática de comercialização de combustíveis, em particular no que tange à eventual possibilidade de que fornecedores de etanol hidratado carburante possam vendê-lo diretamente aos postos revendedores, sem a necessidade do distribuidor como agente intermediário.

Nota Técnica.jpg

O estudo da EPE buscou focar nos aspectos que estão relacionados ao planejamento energético nacional, de acordo com a sua missão institucional, contribuindo para identificar pontos relevantes acerca da introdução da venda direta de etanol hidratado carburante no abastecimento de combustíveis do ciclo Otto no horizonte de médio e longo prazo. Em particular, foram abordados argumentos favoráveis e contrários à medida, bem como os eventuais impactos relativos à tributação, ao RenovaBio e ao abastecimento de combustíveis.  

A fundamentação apresentada no estudo da EPE baseia-se na análise de diversas publicações, incluindo os documentos oficiais divulgados pelas seguintes instituições: ANP, CADE e Ministério da Fazenda, além de experiências internacionais. O presente estudo insere-se no contexto que motivou a publicação da Resolução CNPE nº 12, de 4 de junho de 2019, e será uma referência para os estudos que deverão ser realizados pela ANP, com o intuito de apoiar as medidas de promoção à livre concorrência no mercado de combustíveis no Brasil.

Clique aqui e acesse o estudo completo. 



Notícias Relacionadas

EPE participa da Clean Energy Ministerial e Mission Innovation

11/06/2021 - O Presidente da EPE, Thiago Barral, que atua como ponto focal do Brasil na CEM e MI, participou do evento de lançamento da campanha da Plataforma Biofuturo e de debate promovido sobre a elaboração e uso de cenários energéticos de longo prazo.

Participação da EPE no programa de mentoria "Energising Women to Advance the Energy Transition"

11/06/2021 - As colaboradas Fernanda Corrêa Ferreira, Juliana Velloso Durão, Mariana Lucas Barroso e Patrícia Messer Rosenblum foram selecionadas e estão participando do programa "Energising Women to Advance the Energy Transition Mentoring Programme" da Global Women's Network for The Energy Transition (GWNET), mesma instituição responsável pelo programa "The Women in Wind Global Leadership Program 2020" do qual a Chefe de Gabinete da presidência, Mariana Espécie, participou.

EPE disponibiliza a primeira versão da ferramenta para avaliação técnico-econômica de ônibus urbanos municipais a biometano

11/06/2021 - Ferramentas para a avaliação de alternativas tecnológicas não se resumem a estimular a adoção de novas tecnologias. Elas buscam identificar as principais variáveis envolvidas no uso de cada alternativa e permitem ao usuário verificar a sua viabilidade técnico-econômica, reduzindo assim a assimetria de informação envolvida no problema.

MME e EPE publicam primeiro Caderno do PDE 2031

10/06/2021 - A primeira etapa do PDE 2031 consiste em definir as premissas demográficas e econômicas que subsidiarão as projeções de demanda e oferta de energia no horizonte decenal. Construir cenários econômicos é um trabalho altamente complexo, sobretudo em um contexto de elevada incerteza decorrente da pandemia da Covid-19, que continua impactando a economia global e nacional.

Thiago Barral e Heloísa Borges se reúnem com o Governador de Mato Grosso, Mauro Mendes, para discutir sobre o potencial de Petróleo e Gás Natural das Bacias do Paraná e Parecis

08/06/2021 - Na segunda-feira, 31/05, o Presidente da EPE, Thiago Barral, e a Diretora de Estudos do Petróleo, Gás e Biocombustíveis da EPE, Heloisa Borges, conduziram uma reunião com o Governador do Estado de Mato Grosso, Mauro Mendes. O objetivo do encontro trata-se de uma iniciativa na identificação e quantificação do potencial de Petróleo e Gás Natural das Bacias terrestres do Parecis e Paraná e o mapeamento de potenciais oportunidades de investimento no país.