Brasil toma a decisão política de ingressar à IRENA

A Comissão Interministerial de Participação em Organismos Internacionais do Governo Federal aprovou nesta quarta-feira (17/01), por unanimidade, o início do processo de adesão do Brasil à Agência Internacional de Energia Renovável (IRENA). O Ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho, destacou a importância da iniciativa ao lado do Presidente da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), Luiz Barroso, que chegou hoje de Abu Dhabi da 8º Assembleia Geral da IRENA.

“O Brasil é um dos melhores exemplos da substancial representatividade das energias renováveis na matriz, tanto elétrica quanto energética, e tenho convicção de que poderemos contribuir muito com a Agência e seus países membros. Como país membro, poderemos participar mais ativamente do debate sobre temas relevantes da agenda energética internacional, bem como nos beneficiar das ferramentas e iniciativas desenvolvidas pela IRENA”, afirmou o ministro.

O Ministro ainda lembrou que a IRENA vem realizando um importante trabalho desde sua fundação, há apenas 9 anos, período em que logrou estabelecer-se como autoridade global em energia renovável, e criou um relevante ambiente de debate das políticas de energias renováveis, incluindo os biocombustíveis, em nível mundial.

O alto número de membros que aderiram à Agência nesse curto intervalo de tempo é bastante expressivo. São 152 países membros e cerca de 30 países em processo de adesão, como o Brasil.

A  8º Assembleia Geral da IRENA ocorrida nos dias 13 e 14 de janeiro teve como temas centrais a discussão de políticas públicas para integração de renováveis e eletrificação da mobilidade.

O Presidente da EPE, Luiz Barroso, que representou o Brasil pelo segundo ano consecutivo no encontro, avaliou a importância da entrada do país. “O Brasil é pioneiro em uma serie de políticas para inserção de energia renováveis que foram posteriormente referências para vários países. Sua participação na IRENA colocará o país na elite mundial da nova onda de discussões, exportando e importando o melhor do conhecimento sobre o tema “.

A Agencia Internacional de Energia Renovável (IRENA)

IRENA é uma organização intergovernamental que apoia o desenvolvimento de energias renováveis nos países membros, bem como a redução de emissões de gases de efeito estufa. Criada em 2009, a Agência Internacional teve como foco o fomento às tecnologias eólica e solar produzidas nos países desenvolvidos. A partir de 2011, passou a considerar os bicombustíveis e a energia hidráulica no escopo dos seus trabalhos. A alteração estimulou o ingresso de países em desenvolvimento, como a África do Sul, Índia e China.

A participação brasileira poderá impulsionar a cooperação e a troca de informações entre os países que almejam o desenvolvimento principalmente em bioenergia. Como o Brasil reúne condições ideais para o desenvolvimento de fontes bioenergéticas, muito se beneficia em acompanhar as evoluções tecnológicas em bioenergia desenvolvidas por outros países, além de influenciar, como país líder nessa área, a pauta da Agência no tema.

A participação brasileira na IRENA contribuirá para a Plataforma Biofuturo, iniciativa do Ministério das Relações Exteriores (MRE), que conta com a participação do MME. As ações do MRE no campo internacional estão compatíveis com o Programa RenovaBio, que foi sancionado pelo Presidente da República em dezembro do ano passado.

O corpo técnico da IRENA poderá também proporcionar mais vantagens para o desenvolvimento da energia solar e eólica no Brasil. Além disso, poderá atrair investimentos, financiamentos e divulgação de processos licitatórios, beneficiando-se do apoio institucional da organização.


Fonte:
Ministério de Minas e Energia - Assessoria de Comunicação Social



Notícias Relacionadas

Resenha Mensal: O consumo nacional de energia elétrica foi 41.999 GWh em maio, expandindo 3,0% em comparação com mesmo mês de 2021.

30/06/2022 - O consumo nacional de energia elétrica foi 41.999 GWh em maio, expandindo 3,0% em comparação com mesmo mês de 2021. A classe comercial cresceu novamente 2 dígitos neste mês e respondeu por cerca de 60% da expansão. O consumo nas residências e na indústria também subiu, porém, este último mais modestamente. O consumo nacional de energia elétrica registrou 504.440 GWh no acumulado em 12 meses, crescimento de 2,7% comparado com o período imediatamente anterior.

EPE divulga resultado final do 8º Concurso Público e já pode contratar os aprovados.

29/06/2022 - A Empresa de Pesquisa Energética (EPE) divulgou, no Diário Oficial desta quarta-feira (29/6), a homologação do 8º Concurso Público (edital nº 1/2022) para o provimento de 17 vagas imediatas e 119 em cadastro de reserva para os cargos de Analista de Gestão Corporativa e Analista de Pesquisa Energética.

Saiba o que muda na comunicação da EPE no período eleitoral

28/06/2022 - Atendendo à legislação eleitoral vigente e às instruções da Secretaria Especial de Comunicação Social (Secom), algumas restrições serão implementadas no site e nas redes sociais oficiais da EPE no período de Defeso Eleitoral que, de acordo com o Calendário Eleitoral, inicia em 2 de julho e encerra em 2 de outubro (podendo ser estendido até o dia 30 de outubro, no caso de eventual 2º turno), normas especiais relativas às ações de comunicação nos órgãos da Administração Pública federal devem ser observadas.

Leilão de Reserva de Capacidade na forma de Energia de 2022: EPE publica orientações para cadastramento

24/06/2022 - O Ministério de Minas e Energia publicou a Portaria Normativa nº 46/GM/MME, de 23 de junho de 2022, com as Diretrizes do Leilão de Reserva de Capacidade na forma de Energia, de 2022 (LRCE de 2022).

EPE lança o Informe Técnico – Atualização de Preços de Referência para Estudos de Planejamento: Data-Base Março de 2022

23/06/2022 - Este Informe Técnico tem o objetivo de disponibilizar uma versão atualizada do Banco de Preços de Referência de que trata a Resolução Homologatória ANEEL nº 2.514/2019 e a Resolução Homologatória ANEEL nº 2.549/2019 (data-base: julho de 2017) considerando a data-base de março de 2022.