Resenha Mensal: Consumo total estável em janeiro na comparação interanual

O ano de 2022 inicia em patamar alto no consumo nacional de eletricidade, registrado 42.487GWh em janeiro, o segundo maior valor para o mês em toda a série histórica, desde 2004, perdendo apenas para janeiro do ano passado. Na comparação interanual, a taxa de expansão do consumo em janeiro (-0,1%) registra estabilidade. O consumo de eletricidade na classe comercial segue se recuperando, seu bom desempenho no mês anulou a retração registrada no consumo das residências, enquanto o consumo industrial expandiu marginalmente.

O consumo de eletricidade na indústria expande 0,7% no mês, em comparação com igual período do ano anterior. Ainda assim registra o maior consumo para janeiro desde 2014, com 14.732GWh. As regiões Norte (+4,5%), Centro-Oeste (+3,6%) e Sul (+2,8%) expandiram seus consumos; enquanto Nordeste (-0,8%) e Sudeste (-0,6%) apresentaram retração. Alagoas (+63,5%) se destaca com a maior taxa, ainda pelo efeito estatístico da gradativa retomada no início de 2021 da produção de cloro-soda no estado. Seis dos dez segmentos mais eletrointensivos da indústria elevaram o consumo, liderados por: produtos alimentícios (+130 GWh); e produtos químicos (+102 GWh), com destaque para cloro-soda em Alagoas e Bahia. Já os setores têxtil (-49 GWh) e automotivo (-45 GWh) registraram as maiores quedas. A indústria automobilística, que ainda se ressente da escassez de componentes eletrônicos, sofreu também com os impactos sobre a força de trabalho dos afastamentos por COVID-19 devido a variante Ômicron do coronavírus, segundo a ANFAVEA que representa o setor. As exportações contribuiram para o consumo de eletricidade na indústria. A Secretaria de Comércio Exterior (Secex), apontou entre os produtos que registraram expansão na exportação: minérios de alumínio (20,6%), na indústria extrativa; gorduras e óleos vegetais (1.106,2%)  e produtos semi-acabados de ferro ou aço (179,7%), na Indústria de transformação. Por outro lado, entre os que apresentaram retração estão: minérios de ferro (-36,8%), cobre (-68,8%) e níquel (-100%), na Indústria Extrativa.

O consumo de energia elétrica da classe comercial foi de 8.020 GWh em janeiro, crescimento de 7,3% em relação ao mesmo mês do ano anterior. O setor de serviços do país continua em expansão, contribuindo para o bom desempenho da classe. O setor de tecnologia da informação, transporte e de serviços prestados às famílias, em especial alojamento e alimentação e turismo continuam puxando o aumento do consumo da classe. O consumo teria sido ainda maior, se não houvesse a adoção de algumas medidas restritivas para conter o avanço da variante Ômicron. Todas as regiões registraram crescimento no consumo da classe. A região Sul (+13,2%) liderou a expansão, seguida pelo Norte (+10,2%), Centro-Oeste (+8,4%), Sudeste (+5,8%) e Nordeste (+4,5%). Entre as Unidades da Federação, as maiores taxas de consumo da classe no país foram registradas no Espírito Santo (+28,9%), Amazonas (+27,5%), Minas Gerais (+22,2%) e Ceará (+20,1%). Enquanto isso, Acre (-1,7%), Rio de Janeiro (-1,0%) e Maranhão (-0,9%) foram os únicos que apontaram queda do consumo.

O consumo de eletricidade da classe residencial caiu 3,9% em janeiro comparado ao mesmo mês de 2021, atingindo 13.064 GWh. A classe apresenta a quarta queda consecutiva do consumo. Temperaturas mais amenas e grande volume de chuvas em boa parte do Brasil refletiram em grande parte no comportamento do consumo das residências. A região Sudeste (-8,7%) foi a que teve a maior retração no mês. Seguida pela região Nordeste (-2,6%) e Centro-Oeste (-1,7%). Enquanto isso, a região Norte (+6,0%) e o Sul (+3,6%) registraram aumento. As maiores quedas ocorreram nos estados do Rio de Janeiro (-11,6%), Amapá (-11,3%), São Paulo (-9,8%) e Bahia (-8,6%). No Rio de Janeiro e em São Paulo, as temperaturas abaixo da média e um maior volume de chuvas no mês contribuíram para a redução do consumo nos estados. O impacto da enchente no Sul da Bahia provocada pelas fortes chuvas de dezembro de 2021 ainda perdura no estado, refletindo no encolhimento do consumo de energia elétrica. Já as maiores taxas de consumo foram registradas em Rondônia (+17,4%), no Amazonas (+16,3%) e Roraima (+13,8%).

Quanto ao ambiente de contratação, o mercado livre apresentou alta de 4,2% no consumo no mês, enquanto o consumo cativo das distribuidoras de energia elétrica retraiu 2,6%.

Clique aqui para acessar a Resenha Mensal e ouça aqui o podcast que preparamos para você. 


                           


Notícias Relacionadas

EPE participa da inauguração de projeto de pesquisa capaz de produzir energia e água destilada em locais remotos

25/05/2022 - O Presidente da EPE, Thiago Barral, participou no dia 23 de maio, na Coppe/UFRJ, da inauguração de projeto de pesquisa que consiste numa Ilha de Policogeração Sustentável. O projeto combina diversas tecnologias e é capaz de produzir simultaneamente eletricidade e água destilada, com potencial para produção de outros co-produtos, como biocombustivel.

Leilões de Energia Nova A-5 e A-6 de 2022: EPE divulga Resultado do Cadastramento dos Projetos

24/05/2022 - Foi concluído, em 11/05/2022, o cadastramento dos projetos para participação nos Leilões de Energia Nova A-5 e A-6 de 2022. Anunciado pelo Ministério de Minas e Energia por meio da Portaria Normativa nº 41/GM/MME/2022

EPE lança “BiodivEPE - Biodiversidade no planejamento de projetos de energia”

23/05/2022 - A Empresa de Pesquisa Energética - EPE lança a BiodivEPE - Biodiversidade no planejamento de projetos de energia. Uma ferramenta interativa elaborada com recursos de SIG - Sistema de Informações Geográficas.

Relatório Anual Integrado 2021 da EPE já está disponível para consulta

23/05/2022 - De acordo com a Lei nº 13.303/2016, popularmente conhecida como "Lei das Estatais", a divulgação anual de relatório integrado é obrigação prevista para todas as empresas estatais, como é o caso da EPE. Nesse contexto, como parte do seu compromisso com a transparência, a EPE torna público o Relatório Anual Integrado 2021, documento que unifica os relatórios da administração e de gestão em um só documento, sendo importante componente do processo de prestação de contas anuais pela EPE.

EPE conquista Menção Honrosa no Seminário Nacional de Produção e Transmissão de Energia Elétrica

20/05/2022 - Entre os dias 15 a 18 de maio, a Empresa de Pesquisa Energética (EPE) participou da 26ª Edição do Seminário Nacional de Produção e Transmissão de Energia Elétrica – SNPTEE, promovido pelo Comitê Nacional Brasileiro de Produção e Transmissão de Energia Elétrica – CIGRE-Brasil, com a participação de mais de 33 colaboradores.