PDE 2031: Estudos Complementares de Geracao Centralizada de Energia Eletrica - Sensibilidades what if

​O Plano Decenal de Expansão de Energia 2031 (PDE 2031) foi elaborado ao mesmo tempo em que o setor elétrico brasileiro enfrentava desafiadora situação de escassez hídrica. Considerando o caráter de constante evolução presente nos estudos de planejamento da expansão, a realidade operativa do ano de 2021 trouxe lições que permitiram avançar na aproximação entre a realidade e os modelos computacionais utilizados nos estudos de médio e de longo prazo. Porém, o esforço exigido para que estas melhorias fossem incorporadas de forma imediata fez com que o capítulo de geração de energia elétrica do PDE 2031 não apresentasse os cenários de sensibilidade what if na ocasião de sua publicação.

Cientes da importância de análises adicionais, após a publicação final do PDE 2031, o MME e a EPE seguiram trabalhando no desenvolvimento de novos estudos que complementassem o Plano com o propósito de endereçar outras questões que não fizeram parte do escopo do relatório principal. Esses estudos são apresentados na Nota Técnica "Estudos Complementares: Sensibilidades what if", que pode ser acessada no link a seguir. Em um panorama de múltiplas mudanças e desafios, o presente documento traz três análises de sensibilidades what if que abordam alguns destes aspectos:

  • A primeira delas faz uso de uma ferramenta alternativa, que permite simulação a usinas individualizadas, além de outras funcionalidades. Esta ferramenta foi utilizada para avaliação do atendimento aos critérios de suprimento e o cálculo dos requisitos do SIN.

  • A segunda análise considera o uso de projeções horárias de carga e geração das fontes renováveis variáveis para a estimativa da carga líquida, utilizando assim uma base de dados projetada para a definição dos patamares que são utilizados no modelo Newave.

  • Por fim, foi realizado terceiro estudo considerando diferentes históricos de vazões para a geração dos cenários hidrológicos sintéticos. Ao considerar apenas o passado recente como base para estimar o futuro, discute-se como o sistema funcionaria caso se confirme a mudança no perfil de afluências.

Com este documento complementar ao Capítulo 3 do PDE 2031, o MME e a EPE mantêm seu compromisso de fomentar discussões importantes para o planejamento da expansão e ajudar na construção de um sistema elétrico seguro e adaptado as novas características da matriz energética.

Para maiores detalhes, acesse o documento


Notícias Relacionadas

EPE divulga o produto Mesa REATE - Caderno Perspectiva Para Petróleo e Gás Natural em Bacias Sedimentares Onshore Brasileiras

17/08/2022 - O produto Mesa REATE - Caderno PERSPECTIVA PARA PETRÓLEO E GÁS NATURAL EM BACIAS SEDIMENTARES ONSHORE BRASILEIRAS, consolida as apresentações realizadas pela EPE nas Mesas REATE ocorridas nos Estados brasileiros durante os anos de 2020 e 2021.

EPE participará do Webinário sobre Mudanças Climáticas promovido pelo TCU

17/08/2022 - O Tribunal de Contas da União (TCU) promoverá, nesta quinta-feira (18/08), o Webinário Mudanças Climáticas - Impactos sociais e adaptações requeridas para a infraestrutura. O evento será transmitido a partir das 14 horas pelo Youtube e terá a presença de diversos convidados para debater as questões que permeiam os impactos sociais e as adaptações de infraestrutura necessárias, por conta das mudanças climáticas.

Lançamento da Décima Terceira Edição do Análise de Conjuntura dos Biocombustíveis - Ano 2021.

17/08/2022 - O Ano de 2021 foi atingido por geadas e um expressivo déficit hídrico, resultando nos menores indicadores dos últimos dez anos. O consumo ciclo Otto apresentou uma recuperação, com redução da participação do hidratado.

EPE comemora aniversário de 18 anos

16/08/2022 - A Empresa de Pesquisa Energética – EPE completa, hoje, dia 16 de agosto, 18 anos de comprometimento com o progresso do setor energético do Brasil.

EPE publica a edição de agosto de 2022 das Perspectivas para o Mercado Brasileiro de Combustíveis no Curto Prazo

12/08/2022 - O mercado brasileiro de combustíveis seguirá sua trajetória de recuperação, ultrapassando a demanda média registrada em 2019 ainda em 2022.