Participação da EPE no programa de mentoria "Energising Women to Advance the Energy Transition"

As colaboradas Fernanda Corrêa Ferreira, Juliana Velloso Durão, Mariana Lucas Barroso e Patrícia Messer Rosenblum foram selecionadas e estão participando do programa "Energising Women to Advance the Energy Transition Mentoring Programme" da Global Women's Network for The Energy Transition (GWNET), mesma instituição responsável pelo programa "The Women in Wind Global Leadership Program 2020" do qual a Chefe de Gabinete da presidência, Mariana Espécie, participou. 

Fernanda.jpegJuliana.jpeg

Mariana.jpegMariana.jpeg

O programa foi lançado pela GWNET em parceria com a Deutsche Gesellschaft für Internationale Zusammenarbeit (GIZ), em nome do Ministério Federal Alemão para Assuntos Econômicos e Energia (BMWi), em países parceiros da Alemanha. 

A GWNET recebeu inscrições de mulheres que trabalham com energia sustentável nos seguintes países: Brasil, Chile, México, Argélia, Jordânia, Marrocos, Arábia Saudita, Tunísia, Etiópia, Índia e China. No Brasil, 12 mulheres foram selecionadas para participar do programa, sendo 4 delas da EPE. 

O objetivo do GWNET é empoderar mulheres no setor de energia por meio de rede interdisciplinar, treinamento, coaching e mentoria. A instituição busca abordar os atuais desequilíbrios de gênero no setor e promover ações com perspectiva de gênero em torno da transição energética em todas as partes do mundo. 

Cada uma das participantes terá um mentor escolhido a dedo com quem elas se envolverão em um intercâmbio bilateral entre junho de 2021 e maio de 2022; essa combinação é feita com base nas aspirações de carreira estipuladas no formulário de inscrição de cada uma. 

Paralelamente, será organizado um curso online exclusivo sobre tópicos de energia e desenvolvimento pessoal para estimular o crescimento das participantes. 

O CIGRAD -  Comitê Interno para questões de Gênero, Raça e Diversidade - reforçou a importância do programa:

"Os programas de mentoria são iniciativas que representam uma oportunidade incrível de crescimento pessoal e profissional e  que quando abraçadas pela empresa, retornam em forma de aumento de qualidade dos trabalhos e também de qualidade das relações no ambiente de trabalho."

Sobre o trabalho da GWNET: 

A desigualdade de gênero pode ser observada em todas as partes do mundo no setor energético e se acirra ainda mais nos níveis de tomada de decisão. As mulheres geralmente estão sub-representadas nos conselhos de administração e nos cargos de alta gerência, bem como na política. Essa realidade de sub-representação é ainda mais acentuada em campos relacionados à energia. Como resultado, as poucas mulheres que conseguem assegurar posições de liderança geralmente estão menos conectadas com seus pares do que seus colegas homens. 

É importante destacar que a igualdade de gênero tem se mostrado um fator indispensável para o alcance da sustentabilidade. A diversidade de gênero impulsiona a inovação, abre novos caminhos para a implantação de tecnologia, traz novas perspectivas para o desenvolvimento das sociedades e atrai e retém um pool mais rico de talentos. 

Essas observações motivaram quatro mulheres profissionais que trabalham no campo da energia sustentável a fundar a Rede Global de Mulheres para a Transição de Energia (GWNET). GWNET é uma rede global que visa capacitar mulheres que trabalham com energia sustentável em todas as partes do mundo em diferentes níveis de carreira, tanto no setor público quanto no privado. É uma organização internacional sem fins lucrativos fundada em 2017 sob a lei austríaca.  

Para mais informações sobre o programa, clique aqui.

Notícias Relacionadas

EPE publica Estudo de Alternativas para Suprimento a Fernando de Noronha

06/12/2021 - Fernando de Noronha é um paraíso natural que atrai um grande número de turistas todo ano. A ilha é considerada um Sistema Isolado do ponto de vista elétrico, pois não está conectada ao Sistema Interligado Nacional (SIN). Nesse sentido, a geração de energia elétrica no local é realizada a partir de uma usina termelétrica a óleo diesel. Conforme estudos de Planejamento dos Sistemas Isolados conduzidos pela EPE, a partir das informações disponibilizados pelas distribuidoras, está previsto um importante crescimento da carga da ilha nos próximos anos, o que deverá resultar na necessidade de expansão do atual parque gerador.

EPE é certificada no nível 2 no 5º ciclo do IG-SEST

02/12/2021 - Em cerimônia realizada ontem pelo Ministério da Economia, a EPE recebeu o certificado referente ao 5° Ciclo de avaliação do indicador IG-SEST. Dentre as 60 empresas estatais participantes, somente 31 foram certificadas. A EPE foi classificada no nível 2, com nota global 8,55. Além disso, a EPE obteve pontuações acima da mediana para todos os temas avaliados.

EPE e MME publicam o Caderno de Gás Natural do PDE 2031

01/12/2021 - No horizonte de 2021 a 2031, as previsões de oferta de gás natural no Brasil se mantiveram otimistas, dadas as perspectivas trazidas pelo Novo Mercado de Gás para o setor e o novo marco setorial consolidado com a Nova Lei do Gás e seu Decreto Regulamentador.

Resenha Mensal: O consumo de eletricidade no Brasil em outubro de 2021 apresentou recuo de 0,5% em relação ao mesmo mês de 2020

30/11/2021 - O consumo nacional de eletricidade em outubro foi de 42.621 GWh, recuo de 0,5% em comparação com mesmo período de 2020 e o primeiro mês em 2021 com retração, na comparação interanual. Ainda assim, outubro anota o segundo maior consumo de 2021. Responsável pela retração no mês, a redução do consumo nas residências superou a expansão no comércio e na indústria. O consumo acumulado em 12 meses totalizou 498.769 GWh, expansão de 5,1% comparado ao período anterior.

Webinar - Lançamento do Zoneamento Nacional de Recursos de Óleo e Gás Ciclo 2019-2021

30/11/2021 - O lançamento da sexta edição do estudo Zoneamento Nacional de Recursos de Óleo e Gás já tem data marcada: 13/12/2021, às 18h. O Estudo contínuo realizado em ciclos bianuais pela EPE, é uma importante ferramenta que apoia o Ministério de Minas e Energia (MME) na elaboração do planejamento energético, e completa em 2021, 10 anos de publicação.