EPE participa de debate sobre infraestrutura logística no Rio Oil and Gas 2022

​No segundo dia de Rio Oil and Gas (27/09), a Diretora de Estudos do Petróleo, Gás e Biocombustíveis, Heloísa Borges Esteves foi responsável por fazer a mediação do debate proposto pelo painel sobre "A expansão da infraestrutura logística na promoção da concorrência e competitividade".

Dentre os debatedores ao seu lado estavam: Marcelo Bragança, Vice-Presidente Executivo de Operações Logística da Vibra Energia; Bruno Eustáquio, secretário executivo do Ministério de infraestrutura; Camila Affonso, sócia da Leggio; Victor Bonfim, CEO da Vast Infraestrutura.

Ao abrir o painel apresentando o objetivo do debate com vários pontos de vistas para a melhor promoção da concorrência para a expansão logística, a Diretora fez um paralelo onde a concordância entre as partes para a construção de um novo mercado competitivo funcionasse como a montagem de um quebra cabeça.

Durante o prosseguimento do debate, Heloísa afirmou que falar de logística e eficiência é dar menor preço para o consumidor, e ganho em eficiência energética para fazer mais com menos. Nesse ponto, Heloísa ainda destacou o Plano Decenal da EPE para ilustrar essa ideia de transição energética.

Buscando tratar da promoção do desenvolvimento sustentável no futuro, a Diretora citou que na EPE temos a visão que o futuro descarbonizado será aquele em que um petróleo mais produtivo para o mercado será um petróleo com baixa emissão de carbono, assim como em outras áreas, como transportes que menos emitem carbono, exemplificou.

Ao final do painel, Heloísa veio falar diretamente com a EPE para reafirmar a importância da presença da empresa no evento fomentando os assuntos que vão influir no progresso do setor energético:

"A gente vem aqui pra contribuir, nesse painel em particular a gente tem uma série de planos indicativos que colaboram pro desenvolvimento da infraestrutura do país, e a gente (EPE) está lançando o plano indicativo de oleodutos que olha essa logística, olha o novo cenário do abastecimento e tenta colaborar com as decisões dos agentes privados reduzindo a simetria de informação, reduzindo os custos para a sociedade, tentando com isso promover um desenvolvimento eficiente da infraestrutura que leve a garantia do abastecimento nacional, e menores custos pra população. Então a gente está muito feliz, acho que é muito importante a EPE estar nesse evento e ser reconhecida como quem junta todos, quem agrega todas essas visões na direção de um abastecimento nacional competitivo."


Notícias Relacionadas

EPE publica o Informe de Monitoramento da Política de Exploração e Produção de Petróleo e Gás Natural

24/11/2022 - A EPE divulga a atualização do Informe de Monitoramento da Política de E&P, baseado na Resolução nº 17 de 8 de junho de 2017 aprovada pelo Conselho Nacional de Política Energética (CNPE), que estabelece, por fim, a nova Política de Exploração e Produção de Petróleo e Gás Natural, que define suas diretrizes e orienta o planejamento e a realização de licitações.

EPE divulga nova versão da Nota Técnica - Dados de entrada para modelos elétricos e energéticos: metodologias e premissas

23/11/2022 - A nova versão desta Nota Técnica, elaborada como estudo de apoio ao PDE 2032, tem o objetivo de atualizar a metodologia e as premissas para obtenção de dados de geração representativos das usinas eólicas (onshore e offshore) e fotovoltaicas (centralizadas e flutuantes) para os estudos de planejamento da geração e transmissão realizados pela EPE.

Lançamento da Nota Técnica “Descarbonização do Setor de Transporte Rodoviário - Intensidade de carbono das fontes de energia”.

23/11/2022 - O foco deste estudo circunscreve-se aos avanços da intensidade de carbono dos combustíveis que compõem as projeções de demanda elaboradas pela EPE para o PDE 2031, considerando a Política Nacional de Biocombustíveis – RenovaBio.

Facilitar atração de investimentos no setor energético é o foco de acordo assinado entre ApexBrasil e EPE

18/11/2022 - No momento em que todos os olhares se voltam para as discussões ambientais e questões relacionadas a segurança e transição energéticas combinadas com a necessidade de segurança energética, o Brasil dá mais um passo para o aperfeiçoamento de seu sistema, que foi destino de cerca de 38% dos investimentos estrangeiros entre 2019 e 2021. Com o objetivo de ampliar os esforços conjuntos de atração de investimentos investimentos estrangeiros para impulsionar o setor de energia nacional, a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (ApexBrasil) assinou na tarde do dia 9/11 um protocolo de intenções com a Empresa de Pesquisa Energética (EPE).

EPE publica Nota Técnica - GNL de Pequena Escala: Estudo de caso no Brasil

18/11/2022 - Nesta nota técnica são abordados os principais projetos de GNL em pequena escala em operação e planejados no Brasil. Por meio de um estudo de caso na região Nordeste, são descritas as metodologias de dimensionamento das logísticas e dos custos para o modelo de negócio de GNL de pequena escala pelos modais rodoviário e aquaviário.