Brasil sedia as reuniões preparatórias da Clean Energy Ministerial e da Mission Innovation

O Ministério de Minas e Energia (MME), em parceria com o Itamaraty, com patrocínio de Itaipu Binacional e apoio do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) e da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), promove até o dia 22 de março, no Rio de Janeiro (RJ), a reunião de altos oficiais da Clean Energy Ministerial (CEM) e da Mission Innovation (MI). Esses são importantes fóruns internacionais voltados para a promoção da transição energética – em especial de políticas e investimentos em soluções inovadoras e de baixo carbono para o setor de energia. O Brasil recebe as delegações de mais de 25 países para os três dias de trabalho e planejamento da colaboração internacional na área de energia limpa. 

"Receber tantas delegações estrangeiras no Brasil para definir as prioridades de colaboração internacional para a transição energética reflete a relevância do nosso país, que é uma liderança global em energias renováveis”, afirmou o ministro de Minas e Energia, Alexandre Silveira. 

O evento visa também à preparação para a 14ª Reunião Ministerial da Clean Energy Ministerial e da 8ª Reunião Ministerial da Mission Innovation, que ocorrerão em Goa, na Índia, em julho de 2023. Estão previstas ainda visitas técnicas de lideranças estrangeiras para conhecer o centro de operações do Operador Nacional do Sistema Elétrico e alguns laboratórios de tecnologias de baixo carbono do CENPES, o cento de pesquisas da Petrobras. Mais de  300 participantes, em grande parte de lideranças governamentais e de entidades internacionais, inclusive a Agência Internacional de Energia, a Agência Internacional de Energias Renováveis e o Fórum Econômico Mundial. 

O evento é realizado pelo MME em parceria com o Itamaraty, com patrocínio da Itaipu Binacional e apoio do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) e da Empresa de Pesquisa Energética (EPE). A delegação brasileira é liderada pelo MME, por meio do Secretaria de Planejamento e Transição Energética, e contará também com a participação da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), Agência Nacional de Petróleo (ANP), outros ministérios, lideranças empresariais, BNDES, entre outros. 


Conheça a Clean Energy Ministerial e Mission Innovation


A Clean Energy Ministerial (CEM) é um fórum global de alto nível voltado para a promoção de políticas públicas que estimulem a adoção de tecnologias de energia limpa, o compartilhamento de lições aprendidas e melhores práticas e o incentivo à transição para uma economia global de baixo carbono. As iniciativas do CEM são baseadas em áreas de interesse comum entre os governos participantes e outras partes interessadas. Atualmente ele conta com mais de 25 países membros, entre eles o Brasil.

Já a Mission Innovation (MI) contempla esforços globais de aceleração do desenvolvimento e adoção de inovações tecnológicas e regulatórias em energia de baixo carbono, por meio de políticas de pesquisa, desenvolvimento e demonstração. As missões no âmbito da MI reúnem países e parceiros públicos e privados em torno de esforços ambiciosos de descarbonização do setor energético. Atualmente, a MI possui 22 países membros, incluindo o Brasil.

A CEM e a MI já reúnem mais de 20 iniciativas distintas que abrangem amplo espectro de temas para catalisar os esforços globais para a transição energética. O engajamento do Brasil nessas duas frentes reforça o compromisso do país com o tema, em especial no que tange ao processo de formulação de políticas públicas para o setor de energia. Além disso, o acompanhamento desses temas coloca o país ainda mais na vanguarda, ampliando as oportunidades de investimentos em energias renováveis e de baixo carbono, em linha com os compromissos climáticos assumidos internacionalmente, como é o caso do Acordo de Paris. 

Atualmente, o Brasil contribui ativamente para diferentes iniciativas da CEM e da MI, como a Biofuture Platform, 21st Century Power Partnership, Long-Term Scenarios for the Energy Transition, Hydrogen Initiative, Green Powered Future, Nuclear Innovation: Clean Energy Future e Integrated Biorrefineries Mission.

Fonte: Assessoria de Comunicação Social MME​


DSC_8270-2 (1).jpg

Foto: Rafa Kondlatsch/Itaipu Binacional


Notícias Relacionadas

Resenha Mensal mostra crescimento de 3,4% em comparação com mesmo mês de 2022

30/05/2023 - A mais recente edição da Resenha mostra que o consumo nacional de energia elétrica foi de 44.693 GWh em abril de 2023, crescimento de 3,4% em comparação com mesmo mês de 2022, a maior taxa de expansão desde outubro de 2021.

Fact Sheet AAE e AAAS: possibilidades e limitações

26/05/2023 - O fact sheet apresenta aplicações e limitações da Avaliação Ambiental Estratégica (AAE) e da Avaliação Ambiental de Área Sedimentar (AAAS) com o objetivo de trazer transparência sobre essas ferramentas e informações sobre os dois estudos (EAAS) realizados.

EPE publica Caderno de Tecnologias de Geração

23/05/2023 - Empresa de Pesquisa Energética - EPE divulga a primeira edição do "Caderno de Tecnologias da Geração", que mostra a evolução das características técnicas dos projetos de geração centralizada cadastrados na EPE para os Leilões de Energia, incluindo as fontes eólica, solar fotovoltaica, hídrica (CGH e PCH) e termelétricas (a biomassa, gás natural, carvão etc.).

Lançamento do Fact Sheet sobre combustíveis sustentáveis de aviação.

23/05/2023 - O Fact Sheet sobre Combustíveis Sustentáveis de Aviação (Sustainable Aviation Fuel – SAF) tem como objetivo principal fornecer informações relevantes sobre o tema, com a apresentação de uma visão geral e de conceitos fundamentais, de forma visual e sintética. Em face dos acordos internacionais assinados pelo Brasil, a partir de 2027 o País deverá lançar mão de alternativas para reduzir os níveis de emissão de carbono do setor de aviação.

EPE divulga novo edital de bolsas para Cadastro Reserva da Fundação PTI

22/05/2023 - No contexto do acordo EPE-PTI, a EPE divulga o novo edital de bolsas para cadastro reserva diretamente pela Fundação PTI. Os cargos são de caráter remoto na área do Centro de Competência em Gestão Energética, na vaga de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação – DTI II e III, em Hidrogênio e Recursos Energéticos Distribuídos.