EPE publica o Boletim de Conjuntura da Indústria do Óleo & Gás do 1º semestre/2022

Em meio ao acentuado aumento dos preços de energia na Europa durante a recuperação dos países da crise sanitária e o conflito na Ucrânia, a Empresa de Pesquisa Energética apresenta, na nova edição do Boletim de Conjuntura da Indústria do Óleo & Gás, o Panorama da Indústria de Petróleo e Gás Natural da Alemanha, país com maior consumo energético na Europa. A publicação, que destaca os principais acontecimentos do 1º semestre de 2022, registra o histórico da indústria alemã de óleo & gás, mostra as reservas do país e a preocupação com a diversificação de sua matriz energética a fim de reduzir sua dependência de importação de combustíveis fósseis.

Em sua seção Internacional, o Boletim destaca um semestre de muitos eventos associados ao conflito na Ucrânia, sanções, tensões geopolíticas e a preocupação com a segurança do abastecimento energético. No Brasil, o aumento global dos preços de petróleo e de seus derivados dominou a pauta de discussões, com a adoção de medidas voltadas às variações de preços; no mercado de gás natural, diversos agentes se preparam para iniciar suas operações.

Na seção Estatísticas, pode-se verificar que os preços internacionais de petróleo e gás natural aumentaram muito ao longo do 1º trimestre, reflexo do conflito na Ucrânia. No 2º trimestre, houve redução dos preços de gás na Europa e Ásia e aumento vertiginoso nos EUA enquanto o petróleo seguiu em elevação. No Brasil, a oferta de gás caiu 26% em relação ao 2º semestre de 2021.

Clique aqui e confira!

Notícias Relacionadas

EPE divulga Caderno de Estudos de Geração e Transmissão de Energia Elétrica do ano de 2022

02/02/2023 - Rotineiramente a EPE publica uma série de estudos e pesquisas sobre geração e transmissão de energia elétrica, destinados a subsidiar o planejamento energético setorial. Alguns desses relatórios são de publicação periódica, como aqueles sobre os leilões de energia e de transmissão, enquanto outros buscam responder questões específicas, como aqueles sobre determinadas tecnologias.

MME e EPE publicam novo caderno do PDE 2032: Eletromobilidade

01/02/2023 - A eletrificação do transporte rodoviário no Brasil deve expandir-se continuamente ao longo da próxima década, avançando de forma significativa em certos nichos de aplicação. A penetração de motorizações alternativas no licenciamento de novos veículos semileves e leves, para uso com o transporte cargas, deve ser particularmente elevada, alcançando, em 2032, cerca de 20% para elétricos e 15% para híbridos. Contribuem para isso a eletrificação de nichos como da entrega em última milha, estimulada por compromissos ESG de grandes empresas, e por crescentes restrições às emissões e à circulação de veículos poluentes em áreas urbanas, principalmente metrópoles.

Resenha Mensal: O consumo nacional de energia elétrica foi de 43.347 GWh em dezembro de 2022, expandindo 1% em comparação com mesmo mês de 2021

31/01/2023 - A classe residencial (+4,6%) puxou a alta, seguida pela classe comercial (+1,7%), enquanto a indústria (-1,0%) experimentou retração no consumo. No acumulado em 12 meses o consumo nacional registrou 508.576 GWh, alta de 1,2% em comparação ao período imediatamente anterior.

EPE divulga Caderno de Publicações da EPE sobre Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis em 2022

31/01/2023 - Diante da grande quantidade de estudos realizados, este caderno serve de compêndio de todas essas publicações, apresentando um breve resumo de cada estudo, a data de publicação e o endereço eletrônico para acesso aos documentos completos. Busca-se assim uma transparência ativa e a divulgação dos diversos trabalhos produzidos pela EPE, contribuindo para a formulação de políticas públicas e a definição de diretrizes estratégicas no setor energético brasileiro.

MME e EPE publicam Sensibilidades e Análise Econômica para a Previsão da Produção de Petróleo e Gás Natural do PDE 2032

30/01/2023 - O caderno Sensibilidades e Análise Econômica para a Previsão da Produção de Petróleo e Gás Natural tem o objetivo de detalhar as previsões apresentadas no caderno anterior, discutir alternativas através da análise de sensibilidade para alguns tópicos e ressaltar aspectos econômicos.