Planejamento Energético

A EPE tem como competência elaborar estudos e análises que nortearão as escolhas do Estado com vistas à promoção da prestação eficiente do serviço público e do desenvolvimento eficaz de todo o setor de energia, para melhor atender o bem-estar social, o interesse coletivo e o desenvolvimento sustentável.

A partir das definições das diretrizes de política energética, se desenvolvem os estudos e as pesquisas que irão efetivamente nortear o desenvolvimento do setor energético. Esse conjunto de estudos e pesquisas, quando sistematizados e continuados, constitui o ciclo de planejamento energético integrado e produzem instrumentos importantes para ações e monitoramento, como os planos decenais, planos de longo prazo, boletins e resenhas periódicas, análises de conjuntura e estudos específicos.

Os resultados desses estudos e pesquisas são utilizados diretamente no outro grupamento de análises, com ênfase na formulação e na avaliação de alternativas para atendimento dos serviços energéticos do país, em especial, no elenco de projetos e na elaboração de um plano de ação comercial – por exemplo, através dos leilões de geração e transmissão de energia elétrica- para a viabilização da expansão da oferta de energia, conforme as diretrizes, princípios e metas definidos, em geral, pela União através dos órgãos competentes, como o Conselho Nacional de Política Energética e o Ministério de Minas e Energia.

Os estudos e pesquisas associados às etapas de planejamento energético podem ser divididos, para fins didáticos, em metodologias e estudos de planejamento.

Aqui você encontra mais informações sobre cada uma destas atividades. 


Últimas Notícias da área de atuação

Diretor de Petróleo, Gás e Biocombustíveis da EPE, José Mauro Coelho, concedeu entrevista ao Jornal O Globo

19/06/2018 - RIO- O Brasil subiu mais um degrau no ranking dos dez países maiores produtores de petróleo do mundo. O país está em 9º lugar com uma produção média de 3,2 milhões de barris de petróleo (óleo e gás) por dia, representando 3% da produção total mundial. O ranking é da a Agência Internacional de Energia (EIA, na sigla em inglês), com base nas dados de 2017. O Brasil passou o Kuwait, país membro da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep), que teve produção de 3,1 milhão de barris.

EPE participa da 1ª Reunião do Fórum Técnico Regional de Planejadores de Energia em Bogotá

18/06/2018 - No dia 05/06/2018 foi realizada em Bogotá, na sede do Ministério de Minas e Energia da Colômbia, a primeira reunião do Fórum Técnico Regional de Planejadores de Energia, organizado pela CEPAL, com o objetivo de fomentar o compartilhamento de experiências, conhecimentos e ferramentas de planejamento energético.

EPE Participa do I Workshop de Modelagem do Recurso Eólico

15/06/2018 - O CTGAS-ER está realizando, ontem e hoje, o I Workshop de Modelagem do Recurso Eólico. O evento, sediado em Natal (RN), tem como objetivo principal discutir e avaliar a inserção de novos modelos numéricos (dinâmico, estatísticos e/ou estocásticos) para simular a atmosfera, bem como, discutir o desenvolvimento de novas metodologias que visem uma melhoria na acurácia da previsão de velocidade do vento, para fins de um planejamento adequado na estimativa da geração de energia eólica.

Últimas publicações da área de atuação

Balanço Energético Nacional 2018

Publicação anual, de competência da EPE, cuja finalidade é contabilizar a oferta e demanda de energia elétrica no Brasil. Fruto de extensa pesquisa, o BEN constitui-se como base de dados para os estudos relacionados ao planejamento energético nacional.

Instruções para Apresentação de Proposta de Planejamento do Atendimento aos Sistemas Isolados

A Portaria MME nº 67/2018 publicada em março, inseriu novidades na apresentação do planejamento do atendimento dos mercados consumidores nos Sistemas Isolados.

Caderno de Demanda de Eletricidade

Os estudos de demanda deste caderno foram balizados po três cenários econômicos, descritos no Caderno de Economia - Número 1, publicado em fevereiro de 2018: referência e alternativos inferior e superior.