Resenha Mensal: O consumo de eletricidade no Brasil em outubro de 2021 apresentou recuo de 0,5% em relação ao mesmo mês de 2020

O consumo nacional de eletricidade em outubro foi de 42.621 GWh, recuo de 0,5% em comparação com mesmo período de 2020 e o primeiro mês em 2021 com retração, na comparação interanual. Ainda assim, outubro anota o segundo maior consumo de 2021. Responsável pela retração no mês, a redução do consumo nas residências superou a expansão no comércio e na indústria. O consumo acumulado em 12 meses totalizou 498.769 GWh, expansão de 5,1% comparado ao período anterior.

O consumo na indústria (+1,7%) expande na comparação com igual período de 2020, registrando 15.552 GWh, o maior para outubro desde 2014. O Sudeste (+3,1%) foi a região geográfica que apresentou a maior taxa de expansão do consumo industrial no mês, seguidos por Norte (+1,4%) e Nordeste (+0,3%). Enquanto Sul (-0,1%) e Centro-Oeste (-0,9%) retrairam. Entre os estados, destaque para Alagoas (+121,3%), alavancado pelo efeito base no setor químico, e Espírito Santo (+20,9%), favorecido por extração de minerais metálicos e siderurgia. Sete dos dez segmentos mais eletrointensivos da indústria aumentaram o consumo em outubro, em comparação com igual período de 2020. Destaque para metalurgia (+172 GWh), impulsionada principalmente por alumínio primário (Sudeste e Norte) e siderurgia no Sudeste; fabricação de produtos químicos (+160 GWh), com maior expansão principalmente no Nordeste (cloro-soda); e extração de minerais metálicos (+105 GWh) no Sudeste.

O consumo de energia elétrica da classe comercial foi de 7.513 GWh, representando um crescimento de 2,2% em outubro de 2021, em relação à outubro de 2020. Porém, a taxa de expansão foi a menor desde abril desse ano. O setor de serviços do País continua crescendo em relação ao ano de 2020, puxando o consumo de energia elétrica da classe. O ramo de serviços prestados às famílias, em especial alojamento e alimentação é um dos que vem contribuindo para o crescimento do segmento,  reflexo do avanço da vacinação contra a COVID-19 no País. Entretanto, o clima mais frio em outubro e o aumento das chuvas, em grande parte do território nacional, amenizou o crescimento do consumo de eletricidade da classe comercial. A região Nordeste (+6,2%) foi a que registrou o maior consumo da classe, seguida pela região Sul (+5,2%), Norte (+4,5%) e Centro-Oeste (+2,9%). Já a região Sudeste (-0,4%), reduziu ligeiramente o consumo. Entre as Unidades da Federação, as maiores taxas de consumo da classe no país foram registradas no Amapá (+16,9%), Alagoas (+10,7%) e Rio Grande do Sul (10,4%). Por outro lado, Rio de Janeiro (-8,2%), Rondônia (-5,6%), Mato Grosso do Sul (-4,4%) e Ceará (-1,1%) foram os únicos estados que registraram retração no consumo.

O consumo de energia elétrica da classe residencial caiu 4,3% em outubro desse ano comparado ao mesmo mês do ano anterior, registrando 12.533 GWh. Temperaturas mais amenas e maior volume de chuvas, principalmente  nas regiões Sudeste, Sul e Centro-Oeste contribuíram para a queda do consumo das residências em outubro de 2021. O Programa de Incentivo à Redução Voluntária do Consumo de Energia Elétrica do governo federal também pode ter influenciado, em menor parte, a queda do consumo da classe residencial. A região Sudeste (-7,9%) foi a que teve o maior encolhimento do consumo. Seguida do Centro-Oeste (-4,0%) e por último, o Sul (-3,8%). Enquanto que, as regiões Nordeste (+1,8%) e Norte (+1,6%) apresentaram aumento.  Os estados que apresentaram as maiores quedas foram: Rio de Janeiro (-16,1%), Mato Grosso do Sul (-10,6%), São Paulo (-8,0%) e Paraná (-7,6%). Já, as maiores taxas de expansão de consumo foram registradas no  Amapá (+19,5%) e em Roraima (+13,6%).

Quanto ao ambiente de contratação, o mercado livre apresentou alta de 6,6% no consumo no mês, enquanto o consumo cativo das distribuidoras de energia elétrica retraiu 4,6%.

Clique nos links para acessar a Resenha Mensal e o Podcast com a Analista de Pesquisa Energética Lena Santini Souza Menezes Loureiro.

Notícias Relacionadas

EPE divulga o produto Mesa REATE - Caderno Perspectiva Para Petróleo e Gás Natural em Bacias Sedimentares Onshore Brasileiras

17/08/2022 - O produto Mesa REATE - Caderno PERSPECTIVA PARA PETRÓLEO E GÁS NATURAL EM BACIAS SEDIMENTARES ONSHORE BRASILEIRAS, consolida as apresentações realizadas pela EPE nas Mesas REATE ocorridas nos Estados brasileiros durante os anos de 2020 e 2021.

EPE participará do Webinário sobre Mudanças Climáticas promovido pelo TCU

17/08/2022 - O Tribunal de Contas da União (TCU) promoverá, nesta quinta-feira (18/08), o Webinário Mudanças Climáticas - Impactos sociais e adaptações requeridas para a infraestrutura. O evento será transmitido a partir das 14 horas pelo Youtube e terá a presença de diversos convidados para debater as questões que permeiam os impactos sociais e as adaptações de infraestrutura necessárias, por conta das mudanças climáticas.

Lançamento da Décima Terceira Edição do Análise de Conjuntura dos Biocombustíveis - Ano 2021.

17/08/2022 - O Ano de 2021 foi atingido por geadas e um expressivo déficit hídrico, resultando nos menores indicadores dos últimos dez anos. O consumo ciclo Otto apresentou uma recuperação, com redução da participação do hidratado.

EPE comemora aniversário de 18 anos

16/08/2022 - A Empresa de Pesquisa Energética – EPE completa, hoje, dia 16 de agosto, 18 anos de comprometimento com o progresso do setor energético do Brasil.

EPE publica a edição de agosto de 2022 das Perspectivas para o Mercado Brasileiro de Combustíveis no Curto Prazo

12/08/2022 - O mercado brasileiro de combustíveis seguirá sua trajetória de recuperação, ultrapassando a demanda média registrada em 2019 ainda em 2022.