Resenha Mensal: O consumo de eletricidade no Brasil em outubro de 2021 apresentou recuo de 0,5% em relação ao mesmo mês de 2020

O consumo nacional de eletricidade em outubro foi de 42.621 GWh, recuo de 0,5% em comparação com mesmo período de 2020 e o primeiro mês em 2021 com retração, na comparação interanual. Ainda assim, outubro anota o segundo maior consumo de 2021. Responsável pela retração no mês, a redução do consumo nas residências superou a expansão no comércio e na indústria. O consumo acumulado em 12 meses totalizou 498.769 GWh, expansão de 5,1% comparado ao período anterior.

O consumo na indústria (+1,7%) expande na comparação com igual período de 2020, registrando 15.552 GWh, o maior para outubro desde 2014. O Sudeste (+3,1%) foi a região geográfica que apresentou a maior taxa de expansão do consumo industrial no mês, seguidos por Norte (+1,4%) e Nordeste (+0,3%). Enquanto Sul (-0,1%) e Centro-Oeste (-0,9%) retrairam. Entre os estados, destaque para Alagoas (+121,3%), alavancado pelo efeito base no setor químico, e Espírito Santo (+20,9%), favorecido por extração de minerais metálicos e siderurgia. Sete dos dez segmentos mais eletrointensivos da indústria aumentaram o consumo em outubro, em comparação com igual período de 2020. Destaque para metalurgia (+172 GWh), impulsionada principalmente por alumínio primário (Sudeste e Norte) e siderurgia no Sudeste; fabricação de produtos químicos (+160 GWh), com maior expansão principalmente no Nordeste (cloro-soda); e extração de minerais metálicos (+105 GWh) no Sudeste.

O consumo de energia elétrica da classe comercial foi de 7.513 GWh, representando um crescimento de 2,2% em outubro de 2021, em relação à outubro de 2020. Porém, a taxa de expansão foi a menor desde abril desse ano. O setor de serviços do País continua crescendo em relação ao ano de 2020, puxando o consumo de energia elétrica da classe. O ramo de serviços prestados às famílias, em especial alojamento e alimentação é um dos que vem contribuindo para o crescimento do segmento,  reflexo do avanço da vacinação contra a COVID-19 no País. Entretanto, o clima mais frio em outubro e o aumento das chuvas, em grande parte do território nacional, amenizou o crescimento do consumo de eletricidade da classe comercial. A região Nordeste (+6,2%) foi a que registrou o maior consumo da classe, seguida pela região Sul (+5,2%), Norte (+4,5%) e Centro-Oeste (+2,9%). Já a região Sudeste (-0,4%), reduziu ligeiramente o consumo. Entre as Unidades da Federação, as maiores taxas de consumo da classe no país foram registradas no Amapá (+16,9%), Alagoas (+10,7%) e Rio Grande do Sul (10,4%). Por outro lado, Rio de Janeiro (-8,2%), Rondônia (-5,6%), Mato Grosso do Sul (-4,4%) e Ceará (-1,1%) foram os únicos estados que registraram retração no consumo.

O consumo de energia elétrica da classe residencial caiu 4,3% em outubro desse ano comparado ao mesmo mês do ano anterior, registrando 12.533 GWh. Temperaturas mais amenas e maior volume de chuvas, principalmente  nas regiões Sudeste, Sul e Centro-Oeste contribuíram para a queda do consumo das residências em outubro de 2021. O Programa de Incentivo à Redução Voluntária do Consumo de Energia Elétrica do governo federal também pode ter influenciado, em menor parte, a queda do consumo da classe residencial. A região Sudeste (-7,9%) foi a que teve o maior encolhimento do consumo. Seguida do Centro-Oeste (-4,0%) e por último, o Sul (-3,8%). Enquanto que, as regiões Nordeste (+1,8%) e Norte (+1,6%) apresentaram aumento.  Os estados que apresentaram as maiores quedas foram: Rio de Janeiro (-16,1%), Mato Grosso do Sul (-10,6%), São Paulo (-8,0%) e Paraná (-7,6%). Já, as maiores taxas de expansão de consumo foram registradas no  Amapá (+19,5%) e em Roraima (+13,6%).

Quanto ao ambiente de contratação, o mercado livre apresentou alta de 6,6% no consumo no mês, enquanto o consumo cativo das distribuidoras de energia elétrica retraiu 4,6%.

Clique nos links para acessar a Resenha Mensal e o Podcast com a Analista de Pesquisa Energética Lena Santini Souza Menezes Loureiro.

Notícias Relacionadas

MME abre Consulta Pública sobre Proposta de Diretrizes para a Consideração de Benefícios Ambientais no Setor Elétrico

21/01/2022 - Foi publicada pelo Ministério de Minas e Energia – MME, a Consulta Pública nº 118 de 21/01/2022, que apresenta a Proposta de Diretrizes para a Consideração de Benefícios Ambientais no Setor Elétrico - Lei nº 14.120/2021. A EPE foi a responsável pela elaboração do documento sob a coordenação técnica do Diretor Giovani Vitória Machado, da Diretoria de Estudos Econômico-Energéticos e Ambientais.

EPE publica os Fatos Relevantes da Indústria do Óleo & Gás de dezembro de 2021

21/01/2022 - O mês de dezembro viu uma recuperação nos preços do petróleo. A rápida disseminação da variante Ômicron de Covid-19 começou o mês causando uma pressão de baixa sobre os preços. Essa foi se dissipando com a constatação de que a demanda continuava em alta, e de que a contaminação dessa variante causa uma menor chance de hospitalização.

EPE publica Nota Técnica "Metodologia: Cenário Econômico"

17/01/2022 - As projeções econômicas desenvolvidas nos estudos da EPE subsidiam a construção do cenário de evolução da demanda de energia para os próximos anos e auxiliam na elaboração do planejamento de expansão de energia realizado pelo Ministério de Minas e Energia.

EPE publica Programação dos Estudos de Transmissão para o Ano de 2022

13/01/2022 - Atendendo ao disposto no § 4º do Art. 3º da Portaria nº 215, de 11 de maio de 2020, a EPE divulga a relação dos estudos previstos de serem realizados sob sua coordenação no ano de 2022, incluindo os respectivos Termos de Referência simplificados (Fichas de Referência).

EPE publica edital do seu 8º Concurso Público

07/01/2022 - Nesta sexta-feira, 07/01, foi publicado no Diário Oficial da União (DOU) o Edital do 8º Concurso Público da Empresa de Pesquisa Energética, que visa ao provimento de 16 (dezesseis) vagas de Analista de Pesquisa Energética e 1 (uma) vaga de Analista de Gestão Corporativa, bem como à formação de cadastro de reserva.