Presidente da EPE participa do ENASE 2021

O presidente da EPE, Thiago Barral, participou da 18ª edição do ENASE 2021 – Encontro Nacional dos Agentes do Setor Elétrico. Este ano, o tema foi "O Setor Elétrico Brasileiro e a Transição Energética: Desafios e Oportunidades". Em formato virtual, o evento trouxe a oportunidade de falar sobre o contexto de escassez hídrica e o futuro das hidrelétricas, o papel das fontes renováveis e das termelétricas, os custos para o consumidor e a reforma e abertura do mercado.

Em sua fala, Thiago Barral destacou a importância dos estudos para o fortalecimento da infraestrutura de transmissão para a acomodação de novos recursos renováveis, que serão fundamentais para garantir a segurança energética, além da presença de fontes não expostas aos riscos dos preços de combustíveis. Por outro lado, Barral também falou do papel das termelétricas no processo de transição energética, que somam recursos que podem dar maior gestão do sistema na operação, para fazer frentes a variações na geração das fontes renováveis e na demanda. 

enase.png

Sobre a participação das hidrelétricas na matriz elétrica, o Presidente da EPE chamou atenção para a evolução nos usos múltiplos da água e as variações na disponibilidade hídrica, inclusive podendo ser influenciadas pelas mudanças climáticas e alteração no uso do solo. Nesse sentido, as restrições hidráulicas operativas afetam a forma de uso dos reservatórios, com implicações relevantes para a estratégia de expansão da matriz.

Nesse contexto, a aproximação entre a EPE e a Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico (ANA) foi apontada como muito importante, com foco no planejamento e na antecipação e previsibilidade sobre a evolução da relação entre a geração hidrelétrica e os demais usos da água. Outras linhas de ação foram apresentadas como sendo parte do planejamento para aumentar a resiliência do setor elétrico em cenários de escassez hídrica.

Outro tema tratado foram os estudos de suporte a uma reforma do setor elétrico, em debate no Congresso Nacional. Os estudos realizados pela EPE com foco tanto na separação das contratações de lastro e energia quanto na valoração de benefícios ambientais das fontes servirão de suporte para a atuação do Ministério de Minas e Energia no contexto da Modernização do Setor Elétrico, uma agenda integrada de aprimoramentos no funcionamento do mercado de energia elétrica no Brasil.

Notícias Relacionadas

EPE publica a edição de novembro de 2021 das Perspectivas para o Mercado Brasileiro de Combustíveis no Curto Prazo

12/11/2021 - O mercado brasileiro de combustíveis segue a sua trajetória de recuperação, mantendo-se acima dos níveis pré-pandemia desde junho de 2021. Essa recuperação tem sido alavancada principalmente pelo óleo diesel, cujas vendas têm registrado máximas históricas em diversos meses deste ano (março, abril, junho, julho, agosto e setembro). O crescimento da demanda de diesel reflete, sobretudo, o forte desempenho do setor agropecuário, da mineração e do comércio eletrônico.

EPE e MME lançam o Caderno de Demanda de Eletricidade do Plano Decenal de Expansão de Energia 2031 (PDE 2031)

10/11/2021 - O Caderno traz a perspectiva de evolução até 2031 de consumo na rede por classes, autoprodução, perdas de energia, entre outros aspectos da demanda, considerando três trajetórias ou cenários - Inferior, Referência e Superior – que estão alinhados às expectativas apresentadas no Caderno de Economia.

EPE publica o Informe de Monitoramento da Política de Exploração e Produção de Petróleo e Gás Natural

09/11/2021 - A EPE divulga a atualização do Informe de Monitoramento da Política de E&P, baseado na Resolução nº 17 de 8 de junho de 2017 aprovada pelo Conselho Nacional de Política Energética (CNPE), que estabelece, por fim, a nova Política de Exploração e Produção de Petróleo e Gás Natural, que define suas diretrizes e orienta o planejamento e a realização de licitações.

EPE e MME divulgam Caderno de Oferta de Biocombustíveis do PDE 2031

08/11/2021 - O mais recente caderno do PDE 2031 apresenta projeções de oferta e demanda de biocombustíveis, que consideram os sinais positivos advindos do estabelecimento da Política Nacional dos Biocombustíveis (RenovaBio), assim como ainda refletem desdobramentos decorrentes da pandemia da covid-19, cujos impactos nesse setor deverão ser observados com mais intensidade no curto prazo.

EPE e MME divulgam Caderno de Previsão da Produção de Petróleo e Gás Natural do PDE 2031

05/11/2021 - Após um ano de pandemia da COVID-19, as companhias tiveram um tempo maior para analisar o cenário econômico, reavaliar seus portfólios de contratos de exploração e produção de petróleo e gás natural e decidir sobre os projetos que seguirão firmes.