Lançamento do Anuário do Petróleo no Rio 2021

FOTO HELOISA ANUÁRIO FIRJAN 2021.jpeg

Na tarde dessa terça-feira, 24/08, Heloísa Borges, Diretora da EPE, participou do lançamento do Anuário do Petróleo no Rio 2021, que nesta edição traz um artigo da EPE, intitulado "Integração Energética das Fontes na Matriz Brasileira e o Papel do Petróleo", elaborado por vários colaboradores da Superintendência de Derivados de Petróleo e Biocombustíveis(SDB) da DPG - EPE: Carlos Augusto Góes Pacheco, Marcelo Castello Branco Cavalcanti, Patrícia Feitosa Bonfim Stelling, e Heloísa, Diretora da área.  

Presentes ao webinar, organizado pela Casa Firjan, além de Heloísa, estiveram o Presidente da Firjan, Eduardo Gouvêa Vieira; o Ministro Bento Albuquerque; o Secretário de Petróleo Gás Natural e Biocombustíveis do MME, José Mauro; o Presidente no IBP, Eberaldo de Almeida Neto; a Diretora da ANP,  Symone Araujo; o Diretor Executivo na Petrobras, Roberto Ardenghy, e a moderação foi de Karine Fragoso, Gerente de Petróleo, Gás e Naval da Firjan.  

Em sua fala Heloisa parabenizou a robustez do trabalho, que já está em sua 6ª edição. "A função da EPE é olhar para o futuro. O Anuário da Firjan acompanha a evolução das questões, indo além dos números". Ressaltou ainda a integração do petróleo com outras energias na transição energética. "A mudança de posição das empresas já mostra isso: as grandes empresas petrolíferas mundiais vêm buscando a diversificação de suas carteiras, buscando uma diversificação de suas estratégias energéticas e o Brasil não está atrás. O Rio de Janeiro que é um dos maiores produtores de petróleo e energias sai na frente nessa estratégia."

Notícias Relacionadas

EPE, ONS e CCEE divulgam os dados da 2ª Revisão Quadrimestral das Previsões de Carga para o Planejamento Anual da Operação Energética - 2022-2026

02/08/2022 - A Empresa de Pesquisa Energética – EPE, o Operador Nacional do Setor Elétrico – ONS e a Câmara de Comercialização de Energia Elétrica – CCEE e divulgam os dados da 2ª Revisão Quadrimestral das Previsões de Carga para o Planejamento Anual da Operação Energética - 2022-2026.

EPE, ONS e ANEEL divulgam Nota Técnica com Margens de Capacidade para Escoamento de Energia Elétrica para os Leilões de Energia Nova A-5 e A-6 de 2022.

01/08/2022 - A Empresa de Pesquisa Energética - EPE divulga as Notas Técnicas do Operador Nacional do Sistema (ONS), contendo os quantitativos da capacidade de escoamento de energia elétrica de todos os barramentos da Rede Básica, DIT (Demais Instalações de Transmissão) e ICG (Instalações Compartilhadas de Geração) indicados pelos empreendedores no Sistema AEGE no ato do cadastramento dos Leilões de Energia Nova A-5 e A-6 de 2022.

Resenha Mensal: O consumo nacional de energia elétrica foi 40.718 GWh em junho, expandindo 0,8% em comparação com mesmo mês de 2021.

29/07/2022 - O consumo nacional de energia elétrica foi 40.718 GWh em junho, expandindo 0,8% em comparação com mesmo mês de 2021. A classe comercial novamente lidera a expansão, seguida pela indústria, enquanto o consumo nas residências retrai. O consumo nacional de energia elétrica registrou 504.729 GWh no acumulado em 12 meses, crescimento de 1,8% comparado com o período imediatamente anterior.

Equipe EPE fez visita técnica à usina termelétrica UTE GNA I, localizada no Porto do Açu

29/07/2022 - No dia 27/07/2022, integrantes de diversas áreas da EPE visitaram a usina termelétrica UTE GNA I, localizada no Porto do Açu, no município de São João da Barra (RJ), com cerca de 1.340 MW de capacidade instalada.

EPE, ONS e ANEEL divulgam Nota Técnica com Metodologia, Premissas e Critérios para o cálculo das margens do Leilão de Reserva de Capacidade na forma de Energia – LRCE/2022

25/07/2022 - A Empresa de Pesquisa Energética - EPE divulga Nota Técnica conjunta com o Operador Nacional do Sistema - ONS (ONS NT 0077/2022 / EPE-DEE-RE-054/2022) referente à metodologia, premissas, critérios e configuração do sistema elétrico para definição da capacidade de escoamento de instalações da Rede Básica, Demais Instalações de Transmissão (DIT) e Instalações de Interesse Exclusivo de Centrais de Geração para Conexão Compartilhada (ICG).