EPE realiza III Workshop “Consideração de Benefícios Ambientais no Setor Elétrico” em sequência ao debate público sobre a Lei 14.120/2021

A Empresa de Pesquisa Energética (EPE), com o apoio da Agência Internacional de Energia (IEA), realizou, nos dias 5 e 6 de agosto, o terceiro Workshop, com o objetivo de aprofundar o debate sobre desafios e oportunidades da criação de um mercado de carbono para o Setor Elétrico.

Como ressaltou Giovani Machado, Diretor de Estudos Econômico-Energéticos e Ambientais da EPE, "a proposta do evento foi abordar experiências internacionais para subsidiar a construção das diretrizes para Consideração de Benefícios Ambientais no Setor Elétrico".

giovani.pngsara.pngluca.png

anais.pngmark.pngagnes.png

Nos ciclos de debate os representantes da IEA Sara Moarif, Chefe do Setor de Meio Ambiente e Mudanças Climáticas e Luca Lo RE, Analista de Meio Ambiente e Mudança Climática, trouxeram um panorama internacional mais abrangente sobre tetos de emissões e alocação de permissões. Os convidados Anaïs Jalbert, do Ministério de Meio Ambiente de Québec, e Mark Sippola, Gerente do Programa Cap-and-Trande da Califórnia, apontaram questões específicas sobre a implementação e o funcionamento do mercado de carbono em suas respectivas regiões. Finalmente, Agnes da Costa, Chefe da Assessoria Especial em Assuntos Regulatórios da Secretaria-Executiva do Ministério de Minas e Energia, apresentou reflexões sobre as opções de design potenciais de mercados de CO2 para Brasil.

Os vídeos com a íntegra dos debates estão disponíveis aqui

Notícias Relacionadas

EPE é certificada no nível 2 no 5º ciclo do IG-SEST

02/12/2021 - Em cerimônia realizada ontem pelo Ministério da Economia, a EPE recebeu o certificado referente ao 5° Ciclo de avaliação do indicador IG-SEST. Dentre as 60 empresas estatais participantes, somente 31 foram certificadas. A EPE foi classificada no nível 2, com nota global 8,55. Além disso, a EPE obteve pontuações acima da mediana para todos os temas avaliados.

Resenha Mensal: O consumo de eletricidade no Brasil em outubro de 2021 apresentou recuo de 0,5% em relação ao mesmo mês de 2020

30/11/2021 - O consumo nacional de eletricidade em outubro foi de 42.621 GWh, recuo de 0,5% em comparação com mesmo período de 2020 e o primeiro mês em 2021 com retração, na comparação interanual. Ainda assim, outubro anota o segundo maior consumo de 2021. Responsável pela retração no mês, a redução do consumo nas residências superou a expansão no comércio e na indústria. O consumo acumulado em 12 meses totalizou 498.769 GWh, expansão de 5,1% comparado ao período anterior.

Webinar - Lançamento do Zoneamento Nacional de Recursos de Óleo e Gás Ciclo 2019-2021

30/11/2021 - O lançamento da sexta edição do estudo Zoneamento Nacional de Recursos de Óleo e Gás já tem data marcada: 13/12/2021, às 18h. O Estudo contínuo realizado em ciclos bianuais pela EPE, é uma importante ferramenta que apoia o Ministério de Minas e Energia (MME) na elaboração do planejamento energético, e completa em 2021, 10 anos de publicação.

Carga de energia deve crescer em média 3,4% por ano no período de 2022 a 2026

30/11/2021 - Em 2022, a projeção é de aumento de 2,7%, considerando alta de 1,3% no PIB A Empresa de Pesquisa Energética – EPE, o Operador Nacional do Sistema Elétrico – ONS e a Câmara de Comercialização de Energia Elétrica – CCEE divulgaram hoje, 30 de novembro, os dados da previsão de carga para o Planejamento Anual da Operação Energética - Ciclo 2022 (2022-2026). Para o período 2022-2026, a expectativa é de um crescimento médio da carga de 3,4% por ano. Em 2022, a projeção é de aumento de 2,7%, considerando alta de 1,3% no Produto Interno Bruto – PIB.

Diretor Giovani Vitória Machado participa do encontro de Cooperação Técnica e Financeira Brasil-Alemanha

29/11/2021 - O Diretor de Estudos Econômicos e Energéticos da EPE, Giovani Vitória Machado, e Renata Nogueira Francisco, Assessora da Diretoria de Estudos de Energia Elétrica, participaram dia 18/11 das “Negociações Intergovernamentais Brasil-Alemanha sobre Cooperação Técnica e Financeira”, no Palácio do Itamaraty.