EPE publica os Fatos Relevantes da Indústria do Óleo & Gás de julho de 2021

Apesar da alta volatilidade, os preços mensais de petróleo aumentaram 2,7% em julho, para US$ 75,17/b, se mantendo em suas máximas multianuais. A disseminação da variante Delta do novo coronavírus e conflitos intra-Opep+ contribuíram para a baixa dos preços, mas a demanda crescente se sobrepôs, elevando novamente as cotações. O upstream brasileiro continua movimentado, com um número crescente de poços exploratórios, e o ramp-up de Atapu e Berbigão fazendo a produção crescer. 

O mercado global de gás natural está pressionado pelo aumento da demanda no verão do hemisfério norte. Os preços do gás natural e do GNL foram recordes na Europa e Ásia, entre US$ 12 e US$ 15/MMBtu. Nos EUA, o Henry Hub superou US$ 4/MMBtu no final do mês. 

A Austrália anunciou projeto de US$ 4 bilhões para utilização da planta Gorgon LNG por 40 anos. Empresas da Malásia e Qatar assinaram acordos de suprimento de GNL de longo prazo para a Ásia. Alemanha e EUA anunciaram medidas para proteger a segurança energética da Ucrânia. 

Já o mercado de gás natural brasileiro foi marcado pelo andamento na venda da participação da Petrobras na Gaspetro para a empresa Compass, além da readmissão da Excelerate Energy no processo de arrendamento do terminal de GNL da Bahia.

Clique aqui e confira!

Notícias Relacionadas

EPE publica Estudo de Alternativas para Suprimento a Fernando de Noronha

06/12/2021 - Fernando de Noronha é um paraíso natural que atrai um grande número de turistas todo ano. A ilha é considerada um Sistema Isolado do ponto de vista elétrico, pois não está conectada ao Sistema Interligado Nacional (SIN). Nesse sentido, a geração de energia elétrica no local é realizada a partir de uma usina termelétrica a óleo diesel. Conforme estudos de Planejamento dos Sistemas Isolados conduzidos pela EPE, a partir das informações disponibilizados pelas distribuidoras, está previsto um importante crescimento da carga da ilha nos próximos anos, o que deverá resultar na necessidade de expansão do atual parque gerador.

EPE e MME publicam o Caderno de Gás Natural do PDE 2031

01/12/2021 - No horizonte de 2021 a 2031, as previsões de oferta de gás natural no Brasil se mantiveram otimistas, dadas as perspectivas trazidas pelo Novo Mercado de Gás para o setor e o novo marco setorial consolidado com a Nova Lei do Gás e seu Decreto Regulamentador.

Resenha Mensal: O consumo de eletricidade no Brasil em outubro de 2021 apresentou recuo de 0,5% em relação ao mesmo mês de 2020

30/11/2021 - O consumo nacional de eletricidade em outubro foi de 42.621 GWh, recuo de 0,5% em comparação com mesmo período de 2020 e o primeiro mês em 2021 com retração, na comparação interanual. Ainda assim, outubro anota o segundo maior consumo de 2021. Responsável pela retração no mês, a redução do consumo nas residências superou a expansão no comércio e na indústria. O consumo acumulado em 12 meses totalizou 498.769 GWh, expansão de 5,1% comparado ao período anterior.

Webinar - Lançamento do Zoneamento Nacional de Recursos de Óleo e Gás Ciclo 2019-2021

30/11/2021 - O lançamento da sexta edição do estudo Zoneamento Nacional de Recursos de Óleo e Gás já tem data marcada: 13/12/2021, às 18h. O Estudo contínuo realizado em ciclos bianuais pela EPE, é uma importante ferramenta que apoia o Ministério de Minas e Energia (MME) na elaboração do planejamento energético, e completa em 2021, 10 anos de publicação.

Carga de energia deve crescer em média 3,4% por ano no período de 2022 a 2026

30/11/2021 - Em 2022, a projeção é de aumento de 2,7%, considerando alta de 1,3% no PIB A Empresa de Pesquisa Energética – EPE, o Operador Nacional do Sistema Elétrico – ONS e a Câmara de Comercialização de Energia Elétrica – CCEE divulgaram hoje, 30 de novembro, os dados da previsão de carga para o Planejamento Anual da Operação Energética - Ciclo 2022 (2022-2026). Para o período 2022-2026, a expectativa é de um crescimento médio da carga de 3,4% por ano. Em 2022, a projeção é de aumento de 2,7%, considerando alta de 1,3% no Produto Interno Bruto – PIB.