EPE publica a edição de julho de 2021 das Perspectivas para o Mercado Brasileiro de Combustíveis no Curto Prazo

O mercado brasileiro de combustíveis tem se recuperado gradualmente, embora ainda esteja sob elevadas incertezas relacionadas à pandemia de covid-19. 

A retomada da atividade econômica tem contribuído para o aumento das vendas domésticas de combustíveis. Destaca-se, em especial, o crescimento de 11,5% no volume comercializado de óleo diesel de janeiro a maio de 2021 em comparação com o mesmo período de 2020. O bom desempenho da agropecuária, com expectativa de safra recorde de grãos, tem conduzido o aumento da demanda de óleo diesel no Brasil. 

Expectativas de queda na produção de cana-de-açúcar para a safra 2021/22, devido ao déficit hídrico em importantes regiões produtoras, devem impactar o mercado de etanol e, consequentemente, de gasolina. Nesta edição das Perspectivas para o Mercado Brasileiro de Combustíveis no Curto Prazo, a EPE projeta que as vendas de gasolina C em 2021 irão superar os valores registrados em 2019. 

Perspectivas para o Mercado Brasileiro de Combustíveis no Curto Prazo é uma publicação bimestral da EPE que apresenta projeções para as vendas mensais dos principais derivados de petróleo e biocombustíveis pelas distribuidoras no Brasil. A publicação objetiva reduzir a assimetria de informações e fornecer subsídios à tomada de decisão dos agentes do setor de energia. 

Clique aqui e acesse o conteúdo completo da edição de julho de 2021.


Notícias Relacionadas

EPE publica Estudo de Alternativas para Suprimento a Fernando de Noronha

06/12/2021 - Fernando de Noronha é um paraíso natural que atrai um grande número de turistas todo ano. A ilha é considerada um Sistema Isolado do ponto de vista elétrico, pois não está conectada ao Sistema Interligado Nacional (SIN). Nesse sentido, a geração de energia elétrica no local é realizada a partir de uma usina termelétrica a óleo diesel. Conforme estudos de Planejamento dos Sistemas Isolados conduzidos pela EPE, a partir das informações disponibilizados pelas distribuidoras, está previsto um importante crescimento da carga da ilha nos próximos anos, o que deverá resultar na necessidade de expansão do atual parque gerador.

EPE e MME publicam o Caderno de Gás Natural do PDE 2031

01/12/2021 - No horizonte de 2021 a 2031, as previsões de oferta de gás natural no Brasil se mantiveram otimistas, dadas as perspectivas trazidas pelo Novo Mercado de Gás para o setor e o novo marco setorial consolidado com a Nova Lei do Gás e seu Decreto Regulamentador.

Resenha Mensal: O consumo de eletricidade no Brasil em outubro de 2021 apresentou recuo de 0,5% em relação ao mesmo mês de 2020

30/11/2021 - O consumo nacional de eletricidade em outubro foi de 42.621 GWh, recuo de 0,5% em comparação com mesmo período de 2020 e o primeiro mês em 2021 com retração, na comparação interanual. Ainda assim, outubro anota o segundo maior consumo de 2021. Responsável pela retração no mês, a redução do consumo nas residências superou a expansão no comércio e na indústria. O consumo acumulado em 12 meses totalizou 498.769 GWh, expansão de 5,1% comparado ao período anterior.

Webinar - Lançamento do Zoneamento Nacional de Recursos de Óleo e Gás Ciclo 2019-2021

30/11/2021 - O lançamento da sexta edição do estudo Zoneamento Nacional de Recursos de Óleo e Gás já tem data marcada: 13/12/2021, às 18h. O Estudo contínuo realizado em ciclos bianuais pela EPE, é uma importante ferramenta que apoia o Ministério de Minas e Energia (MME) na elaboração do planejamento energético, e completa em 2021, 10 anos de publicação.

Carga de energia deve crescer em média 3,4% por ano no período de 2022 a 2026

30/11/2021 - Em 2022, a projeção é de aumento de 2,7%, considerando alta de 1,3% no PIB A Empresa de Pesquisa Energética – EPE, o Operador Nacional do Sistema Elétrico – ONS e a Câmara de Comercialização de Energia Elétrica – CCEE divulgaram hoje, 30 de novembro, os dados da previsão de carga para o Planejamento Anual da Operação Energética - Ciclo 2022 (2022-2026). Para o período 2022-2026, a expectativa é de um crescimento médio da carga de 3,4% por ano. Em 2022, a projeção é de aumento de 2,7%, considerando alta de 1,3% no Produto Interno Bruto – PIB.