Diretora de Estudos do Petróleo, Gás e Biocombustíveis da EPE participa da webinar Visão 2050 – Energia

A Diretora de Estudos do Petróleo, Gás e Biocombustíveis da EPE, Heloisa Borges, participou na manhã desta quarta-feira, 24/06, do webinar Visão 2050 - Energia, organizado e promovido pelo Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável – CEBDS, onde foram debatidos os cenários de futuro para o Brasil e o mundo para as indústrias de energia. O debate foi centrado em torno de uma visão de futuro e dos caminhos para retomar os negócios e o desenvolvimento econômico pós-pandemia mirando numa aceleração rumo a uma nova economia e priorização da agenda da sustentabilidade.

Entre os participantes, além da diretora Heloisa, estavam o Presidente e CEO da Siemens do Brasil, André Clark, a Presidente adjunta da Neoenergia, Solange Ribeiro, o CEO da Sunew, Tiago Alves, o Presidente da Shell Brasil, André Araujo e a Presidente do CEBDS, Marina Grossi.

Durante o debate, a diretora da EPE destacou o papel de destaque do Brasil no cenário energético, sendo um país rico em disponibilidade e variedade de fontes renováveis. Afirmou ainda que justamente neste momento de crise é importante debatermos uma visão de futuro para o setor energético nacional, tanto do ponto de vista das empresas quanto do ponto de vista dos governos, um debate que se encaixa perfeitamente na missão da EPE.

O Brasil busca garantia da segurança energética nacional dentro de um contexto de desenvolvimento sustentável. O setor de energia tem o potencial para mudar o patamar de desenvolvimento do país, e para isso, é fundamental um esforço conjunto entre governos e mercado na convergência acerca de um mapa do caminho de transição energética e na promoção de sinergia de políticas públicas e desenhos de mercado que guardem coerência entre si. O setor energético tinha pautas importantes antes da crise que permanecem absolutamente válidas e necessárias, como a política nacional de biocombustíveis (Renovabio) e a abertura do mercado de gás. São reformas que permitirão um salto no ambiente para investimentos e que devem ser mantidas como prioritárias, já que contribuem para criar as condições econômicas para inserção do Brasil em posição privilegiada em um cenário de transição energética.​

Em breve será disponibilizado o link para acesso a gravação da webinar.

WhatsApp Image 2020-06-24 at 13.01.19.jpeg

Notícias Relacionadas

EPE publica Nota Técnica sobre a Monetização de Gás Natural Offshore no Brasil

22/09/2020 - O documento tem por objetivo a apresentação das principais tecnologias para monetização de gás natural produzido em ambiente marítimo no Brasil, apresentando também estudos de caso que permitam avaliar cada uma das tecnologias estudadas e realizar uma análise comparativa destas alternativas para projetos offshore.

Webinar sobre a modelagem das fontes renováveis variáveis

21/09/2020 - O GT Metodologia – CPAMP convida a todos para o Webinar sobre a modelagem das fontes renováveis variáveis que será realizado no dia 28/10/2020.

Lancamento oficial da Plataforma Biofuture na Clean Energy Ministerial

18/09/2020 - Em um evento de lançamento de alto nível , representantes do governo, a Agência Internacional de Energia e os principais líderes da indústria pediram colaboração internacional e envolvimento com o setor privado para atingir o clima global e as metas de transição energética

Resenha Mensal: O consumo de energia elétrica no Brasil em junho totalizou 35.630 GWh

15/09/2020 - O consumo de energia elétrica no Brasil em junho totalizou 35.630 GWh, representando recuo de 7,3% em relação ao mesmo mês de 2019. O consumo acumulado em 12 meses alcançou 471.233 GWh, registrando uma variação negativa de 1,7%.

Resenha Mensal: O consumo de energia elétrica no Brasil totalizou 37.715 GWh em julho

15/09/2020 - O consumo de energia elétrica no Brasil totalizou 37.715 GWh em julho, representando recuo de 1,5% sobre igual mês de 2019, a menor queda em relação aos últimos três meses. A redução no consumo foi puxada pelas classes industrial e principalmente a comercial que continuaram impactadas pelos efeitos do distanciamento social imposto pela COVID-19.