Análise de Conjuntura dos Biocombustíveis

A Análise de Conjuntura dos Biocombustíveis é um documento elaborado anualmente pela Área de Biocombustíveis da Diretoria de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis da EPE. Seu objetivo é apresentar uma síntese dos eventos mais relevantes no mercado de combustíveis renováveis, que ocorreram no ano anterior à sua publicação, auxiliando na compreensão dos fatores que impactam este segmento e estimulando a discussão através de artigos que compõem cada edição.

São analisados os indicadores técnico-econômicos do etanol, do biodiesel e da bioeletricidade, assim como aspectos ligados ao mercado internacional de biocombustíveis, às emissões de gases de efeito estufa evitadas pela utilização dessas fontes renováveis de energia e à Política Nacional de Biocombustíveis (RenovaBio).

Análise de Conjuntura dos Biocombustíveis 2018

Nessa edição especial de dez anos, destacam-se os recordes na produção de etanol e biodiesel. Uma nova seção acompanhará as ações do RenovaBio. O artigo final avalia a evolução do papel dos biocombustíveis na matriz energética nacional.

Análise de Conjuntura dos Biocombustíveis 2017

Sobressai o maior licenciamento de veículos leves após quatro quedas consecutivas. O artigo final destaca a promulgação da Política Nacional de Biocombustíveis (RenovaBio), avaliando objetivos, desdobramentos e contribuições da EPE para seu êxito.

Análise de Conjuntura dos Biocombustíveis 2016

Destacam-se dois recordes no setor sucroenergético: processamento da cana (670 milhões ton), e produção de açúcar (39 milhões ton). O artigo final avalia a diferenciação tributária entre etanol e gasolina no estado de Minas Gerais e seus impactos.

Análise de Conjuntura dos Biocombustíveis 2015

Ressaltam-se o recorde da produção de etanol, o crescimento expressivo da demanda do etanol hidratado e a grande contribuição da bioeletricidade. O artigo final discorre sobre as políticas públicas de incentivo ao mercado de biocombustíveis no Brasil.

Análise de Conjuntura dos Biocombustíveis 2014

Assinala-se o recorde histórico da produção de etanol, pelo terceiro ano consecutivo, e a queda de licenciamentos de veículos leves. A escassez hídrica estimulou a bioeletricidade. O artigo final examina a geração elétrica pelas usinas sucroenergéticas.

Análise de Conjuntura dos Biocombustíveis 2013

Após quatro anos de incertezas, a oferta de etanol no Brasil cresceu 18% e alcançou 28 bilhões de litros, voltando ao patamar recorde das safras 2008 e 2010. O artigo final discute as perspectivas dos custos de produção de etanol para os anos seguintes.