Boletim de Conjuntura da Indústria do Petróleo

O Boletim de Conjuntura da Indústria do Petróleo da EPE é resultado de pesquisas e análises dos principais conteúdos da indústria petrolífera mundial, com ênfase em aspectos econômicos e geopolíticos, tendo como compromissos o grau de relevância, a credibilidade e a adequação ao público leitor. Com um conteúdo sucinto e de fácil entendimento, tal publicação, de periodicidade semestral, busca atingir uma camada maior da sociedade, além de subsidiar os estudos para o planejamento energético. 

O terceiro número do Boletim de Conjuntura da indústria do Petróleo apresenta o panorama do Oeste da África, região que se tornou relevante para o mercado mundial de petróleo em função de descobertas offshore em águas profundas, principalmente na Angola e na Nigéria. Por ser a costa da Angola uma região geologicamente análoga à Bacia de Santos, é dado a esse país um enfoque especial, detalhando seus principais blocos.

No cenário internacional, os cortes de produção realizados principalmente pela Arábia Saudita e pela Rússia conseguiram reduzir os estoques mundiais de petróleo, ainda que abaixo do pretendido, contribuindo para a elevação dos preços da commodity. Incrementos de produção na Líbia, Nigéria e no shale oil norte-americano atuaram no sentido contrário, aumentando a oferta de petróleo. Outros aspectos relevantes são o enfraquecimento do Estado Islâmico, bem como o aumento das tensões entre sauditas e iranianos.

No Brasil, o sucesso das duas rodadas de partilha de produção, promovidas pelo Governo Federal, evidencia o potencial do pré-sal brasileiro. Outros destaques são a extensão do Repetro, regime especial de tributação para empresas de exploração de petróleo, até 2040; a continuidade do plano de reestruturação da Petrobras e de políticas em andamento que visam adequar a regulação e modernizar o mercado de abastecimento de combustíveis no País.

Clique aqui para acessar todas as edições do boletim

Notícias Relacionadas

EPE publica o 4º número do Boletim de Conjuntura da Indústria do Petróleo

29/06/2018 - O quarto número do Boletim de Conjuntura da indústria do Petróleo apresenta o panorama da Rússia. Atualmente, maior exportador mundial de petróleo e de gás natural, e detentor da maior reserva global de gás natural e da sexta maior de petróleo. Este país possui economia fortemente influenciada por essa indústria, apresentando crescente protagonismo na geopolítica da energia e aumento da interação com países da América Latina, Ásia, Norte da África e Oriente Médio.

EPE participa do 4º Congresso Brasileiro de CO2 na Indústria de Petróleo, Gás e Biocombustíveis.

28/06/2018 - Começou nesta quinta-feira, 28 de junho, a 4ª edição do Congresso Brasileiro de CO2 na Indústria de Petróleo, Gás e Biocombustíveis. O evento estava na agenda de 2018 do Instituto Brasileiro de Petróleo, Gás e Biocombustíveis (IBP) para os dias 28 e 29 de junho.

EPE participa do Lançamento do documento ambiente onshore P&G no Brasil.

27/06/2018 - A Firjan lançou ontem , dia 26/06, a publicação ‘Ambiente onshore de petróleo e gás no Brasil 2018’, que é uma coprodução com a ONIP (Organização Nacional da Indústria do Petróleo).

Diretor de Petróleo, Gás e Biocombustíveis da EPE, José Mauro Coelho, concedeu entrevista à Agência Brasil

20/06/2018 - O Brasil poderá ser um dos cinco maiores exportadores de petróleo em 2026. A expectativa do diretor de Estudos de Petróleo, Gás e Biocombustíveis da Empresa de Pesquisas Energéticas (EPE), José Mauro Ferreira Coelho, se baseia na combinação do crescimento da produção com a falta de expansão da área de refino no país.

Diretor de Petróleo, Gás e Biocombustíveis da EPE, José Mauro Coelho, concedeu entrevista ao Jornal O Globo

19/06/2018 - RIO- O Brasil subiu mais um degrau no ranking dos dez países maiores produtores de petróleo do mundo. O país está em 9º lugar com uma produção média de 3,2 milhões de barris de petróleo (óleo e gás) por dia, representando 3% da produção total mundial. O ranking é da a Agência Internacional de Energia (EIA, na sigla em inglês), com base nas dados de 2017. O Brasil passou o Kuwait, país membro da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep), que teve produção de 3,1 milhão de barris.