Boletim de Conjuntura da Indústria do Petróleo

O Boletim de Conjuntura da Indústria do Petróleo da EPE é resultado de pesquisas e análises dos principais conteúdos da indústria petrolífera mundial, com ênfase em aspectos econômicos e geopolíticos, tendo como compromissos o grau de relevância, a credibilidade e a adequação ao público leitor. Com um conteúdo sucinto e de fácil entendimento, tal publicação, de periodicidade semestral, busca atingir uma camada maior da sociedade, além de subsidiar os estudos para o planejamento energético. 

O terceiro número do Boletim de Conjuntura da indústria do Petróleo apresenta o panorama do Oeste da África, região que se tornou relevante para o mercado mundial de petróleo em função de descobertas offshore em águas profundas, principalmente na Angola e na Nigéria. Por ser a costa da Angola uma região geologicamente análoga à Bacia de Santos, é dado a esse país um enfoque especial, detalhando seus principais blocos.

No cenário internacional, os cortes de produção realizados principalmente pela Arábia Saudita e pela Rússia conseguiram reduzir os estoques mundiais de petróleo, ainda que abaixo do pretendido, contribuindo para a elevação dos preços da commodity. Incrementos de produção na Líbia, Nigéria e no shale oil norte-americano atuaram no sentido contrário, aumentando a oferta de petróleo. Outros aspectos relevantes são o enfraquecimento do Estado Islâmico, bem como o aumento das tensões entre sauditas e iranianos.

No Brasil, o sucesso das duas rodadas de partilha de produção, promovidas pelo Governo Federal, evidencia o potencial do pré-sal brasileiro. Outros destaques são a extensão do Repetro, regime especial de tributação para empresas de exploração de petróleo, até 2040; a continuidade do plano de reestruturação da Petrobras e de políticas em andamento que visam adequar a regulação e modernizar o mercado de abastecimento de combustíveis no País.

Clique aqui para acessar todas as edições do boletim


Notícias Relacionadas

EPE, ANP e FGV Discutem o RenovaBio

05/02/2018 - A EPE, a Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) e a Fundação Getúlio Vargas (FGV Energia) promoveram nesta quinta-feira, primeiro de fevereiro, O evento “RenovaBio – Próximos passos”. O objetivo do encontro foi apresentar as principais iniciativas a serem adotadas pelo Ministério de Minas e Energia (MME), pela ANP e pela EPE para viabilizar a implementação do RenovaBio, instituído pela Lei nº 13.576, de 26 de dezembro de 2017. O encontro foi realizado no Centro Cultural da FGV, no Rio de Janeiro, contou com mais de 300 participantes e a imprensa, o auditório teve sua lotação esgotada.

Veículos elétricos ocuparão nichos de mercado, diz diretor da EPE

05/02/2018 - Os veículos elétricos no Brasil deverão ficar concentrados em nichos de mercado, como frotas de ônibus, táxis e car sharing, os carros de compartilhamento. De acordo com o diretor de Petróleo, Gás e Biocombustíveis da Empresa de Pesquisa Energética, José Mauro Coelho, o país absorveria melhor os veículos híbridos do tipo flex.

Flexibilidade no sistema elétrico é tema de evento e publicação conjunta da EPE, MME e Ministério Alemão de Economia e Energia

02/02/2018 - A EPE e o MME, em parceria com o Ministério Alemão da Economia e Energia (BMWi), com o apoio da Agência Alemã para a Cooperação Internacional (GIZ) organizaram o Workshop " Untapping flexibility in power systems", com o objetivo de discutir estratégias para a garantia de flexibilidade operacional nos seus sistemas elétricos, especialmente diante do crescimento das fontes renováveis na matriz, notadamente a energia eólica e a solar fotovoltaica.

Estudo Regional da Porção Gaúcha da Bacia do Paraná

12/01/2018 - Este é um estudo regional que busca representar as especificidades locais da porção gaúcha da Bacia do Paraná, no contexto geral do potencial petrolífero da bacia.

Boletim de Conjuntura da Indústria do Petróleo

29/12/2017 - O Boletim de Conjuntura da Indústria do Petróleo da EPE é resultado de pesquisas e análises dos principais conteúdos da indústria petrolífera mundial, com ênfase em aspectos econômicos e geopolíticos, tendo como compromissos o grau de relevância, a credibilidade e a adequação ao público leitor. Com um conteúdo sucinto e de fácil entendimento, tal publicação, de periodicidade semestral, busca atingir uma camada maior da sociedade, além de subsidiar os estudos para o planejamento energético.