Estudo sobre a Economicidade do Aproveitamento dos Resíduos Sólidos Urbanos em Aterro para Produção de Biometano

No ano de 2014, a EPE publicou conjunto de estudos sobre aproveitamento energético de Resíduos Sólidos Urbanos (RSU). As notas técnicas DEA 16/14 e 18/14 intituladas respectivamente “Economicidade e Competitividade do Aproveitamento Energético dos Resíduos Sólidos Urbanos” e “Inventário Energético dos Resíduos Sólidos Urbanos” buscaram analisar as possibilidades de aproveitamento energético dos resíduos sólidos urbanos. Na ocasião, as rotas tecnológicas consideradas para quantificação foram a incineração e a produção de biogás em biodigestores anaeróbios.

Na época de realização destes estudos, não havia ainda regulamentação para especificação e qualidade do biometano oriundo de aterros sanitários e estações de tratamento de esgoto para uso veicular e injeção na rede de gás canalizado . Desta forma, nos estudos realizados pela EPE até então, não tinha sido avaliado a economicidade destas opções tecnológicas.  Entretanto, em 29 de junho de 2017, a ANP publicou a resolução de nº 685/2017 para tratar o tema, o que possibilita novos modelos de negócios para aterros sanitários no Brasil. 

Os mercados de gás natural canalizado e GNV podem ser atendidos por biometano de aterro em substituição ao gás natural de origem fóssil. Quanto aos mercados a serem atendidos, dois pontos merecem destaque: (i) para o mercado de gás natural canalizado, verifica-se que os preços do gás natural ofertado às distribuidoras podem variar entre R$ 0,91/m³ e R$ 1,12/m³; (ii) quanto à utilização do biometano como combustível veicular, o energético concorre com combustíveis tradicionais como a gasolina e o diesel, derivados de fósseis com parcela importada. Para quaisquer mercados, cabe ressaltar que o biometano dispõe de atributos ambientais locais e globais que o distingue dos seus concorrentes de origem fóssil.

Assim, tendo em vista o potencial de utilização do biometano e as novas possibilidades de modelos de negócios, objetivou-se neste estudo avaliar economicidade de empreendimentos de produção de biometano a partir de biogás de aterro. Além disso, o estudo buscou sistematizar referências internacionais sobre o tema para reduzir assimetrias de informação neste nicho de mercado, fomentando o debate. Como resultado das simulações realizadas, identificou-se a faixa de valores entre R$ 1,04/m³ e R$ 1,85/m³ para o preço do biometano. Os valores apresentados refletem uma metodologia baseada em custos e a amplitude das faixas decorre de diferentes taxas internas de retorno bem como da escala dos empreendimentos simulados.

O estudo pode ser acessado nesse link.


[1] Neste ponto vale destacar a promulgação da lei estadual do Rio de Janeiro 6.361/2012 que instituiu a política estadual de Gás Natural Renovável em que obriga as concessionárias de Gás a comprarem até 10% do seu mercado (excluído o mercado termoelétrico).


Notícias Relacionadas

EPE, ONS e ANEEL divulgam revisão 3 da Nota Técnica com Margens de Capacidade para Escoamento de Energia Elétrica para o Leilão A-4/2019

24/05/2019 - A Empresa de Pesquisa Energética - EPE divulga a revisão 3 da Nota Técnica 0046/2019, do Operador Nacional do Sistema (ONS), contendo os quantitativos da capacidade de escoamento de energia elétrica de todos os barramentos da Rede Básica, DIT (Demais Instalações de Transmissão) e ICG (Instalações Compartilhadas de Geração) indicados pelos empreendedores no Sistema AEGE no ato do cadastramento deste leilão.

EPE realiza I Workshop do Mercado de Energia Elétrica do ciclo 2019

22/05/2019 - A primeira edição de 2019 do Workshop do Mercado de Energia Elétrica no âmbito da COPAM correu nos dias 09 e 10 de maio. Os encontros promovidos pela COPAM têm como objetivo a troca de experiências e informações entre os agentes e a EPE.

EPE, ONS e ANEEL divulgam revisão 2 da Nota Técnica com Margens de Capacidade para Escoamento de Energia Elétrica para o Leilão A-4/2019

22/05/2019 - A Empresa de Pesquisa Energética - EPE divulga a revisão 2 da Nota Técnica 0046/2019, do Operador Nacional do Sistema (ONS), contendo os quantitativos da capacidade de escoamento de energia elétrica de todos os barramentos da Rede Básica, DIT (Demais Instalações de Transmissão) e ICG (Instalações Compartilhadas de Geração) indicados pelos empreendedores no Sistema AEGE no ato do cadastramento deste leilão.

EPE publica estudo de expansão da transmissão para as Regiões de Cruzeiro do Sul e Feijó, no Acre

20/05/2019 - Foi finalizado no primeiro trimestre de 2019 o estudo de integração de Cruzeiro do Sul e Feijó ao Sistema Interligado Nacional, elaborado pela equipe da Superintendência de Transmissão de Energia (STE) em conjunto com a Superintendência de Meio Ambiente (SMA).

EPE participa de debate sobre Preços de Liquidação de Diferenças

17/05/2019 - O Workshop Internacional sobre Limites de Preços do Mercado de Curto Prazo, organizado pela ANEEL, aconteceu dia 15 de maio em São Paulo, no auditório da FIESP. O objetivo do encontro era debater a definição de limite do Preço de Liquidação de Diferenças (PLD) no Mercado de Curto Prazo, tema previsto para a Agenda Regulatória 2019-2020. O presidente da EPE, Thiago Barral, participou do painel 1, com o tema “Visão das Instituições Públicas”.