EPE recebe a nota 10 no 4º Ciclo de Avaliação do Indicador de Governança das Estatais (IG-SEST)

No último dia 09 de agosto de 2019 a EPE recebeu a nota 10 no 4º Ciclo de Avaliação do Indicador IG-SEST. Nessa edição participaram 61 Empresas, sendo que apenas 14 empresas tiraram a nota máxima, dentre elas a EPE.

O certificado foi recebido pelas mãos do diretor José Mauro Ferreira Coelho, que nesta ocasião ocupava a função de Presidente Substituto da EPE, em cerimônia realizada no auditório do Ministério da Economia, em Brasília. O gestor de Governança, Riscos, Integridade e Controles Internos, Sr. Elzenclever Freitas de Aguiar, também participou da solenidade de certificação do IG-SEST.


igsest 1.jpg

(Crédito da Foto: ASCOM do Ministério da Economia)


A EPE tem mantido o nível 1 desde o 2º Ciclo de Avaliação e nessa edição conseguiu atingir a nota máxima, passando de "9,61", para "10", nas 3 dimensões avaliadas pelo indicador.

Ressalta-se o papel de todos nessa empreitada, desde a Alta Administração, até o conjunto de empregados que de uma forma mais direta ou indireta trabalham para aperfeiçoar a governança institucional. Este certificado veio a partir de um trabalho coletivo onde todos contribuíram de alguma maneira para o aperfeiçoamento da Governança da Empresa, o que não é apenas uma conquista para a EPE, mas também para todo o conjunto da sociedade.


igsest 2.jpg

(Certificado – 4º Ciclo de Avaliação do Indicador IG-SEST)


Vale a pena Lembrar que o indicador IG-SEST foi desenvolvido pela Secretaria de Coordenação e Governança das Empresas Estatais (SEST), com o objetivo de avaliar o cumprimento dos requisitos exigidos pela Lei nº 13303, de 30 de junho de 2016, regulamentada pelo Decreto 8.945, de 27 de dezembro de 2016 e diretrizes estabelecidas nas Resoluções da Comissão Interministerial de Governança Corporativa e de Administração de Participações Societárias da União – CGPAR, que buscam implementar as melhores práticas de mercado e maior nível de excelência em governança corporativa nas Empresas Estatais Federais. O indicador traz benefícios à sociedade, com a melhoria da prestação de serviços das Empresas Estatais. 


igsest 3.jpg

Notícias Relacionadas

A EPE realizará o Workshop Lastro e Energia (Relatório de apoio já disponível)

17/08/2019 - A EPE juntamente com o Ministério de Minas e Energia, realizará no dia 21 de agosto o Workshop Lastro e Energia, que ocorrerá no âmbito do GT Modernização do Setor Elétrico. O evento acontecerá em Brasília e contará com a participação do CCEE, ONS e ANEEL.

EPE participa do 19º Seminário de Gás Natural 2019

16/08/2019 - O diretor de Estudos do Petróleo, Gás e Biocombustíveis, José Mauro Coelho, participou como representante da EPE, no dia 14 de agosto de 2019, do "19º Seminário de Gás Natural 2019". A Mesa Redonda em que participou teve o tema central “Condições para Viabilização da Oferta do Gás Natural do Pré-Sal”.

EPE lança o Informe Técnico - Competitividade do Gás Natural: Estudo de Caso na Indústria de Fertilizantes Nitrogenados

16/08/2019 - O Informe Técnico "Competitividade do Gás Natural: Estudo de Caso na Indústria de Fertilizantes Nitrogenados" é primeiro documento de uma série, que tem por objetivo avaliar o potencial de entrada de novas unidades industriais intensivas em gás natural.

EPE participa de Workshop sobre Serviços Ancilares

13/08/2019 - O evento promovido pelo ONS e ANEEL ocorreu nos dias 31 de julho e 1º de agosto, no Rio de Janeiro. A EPE foi representada pelo Consultor Técnico Daniel José Tavares de Souza, da Superintendência de Transmissão de Energia, que participou como palestrante no primeiro painel sobre “Os Serviços Ancilares no Planejamento do Sistema”.

EPE participa de Workshop sobre Diesel Renovável

06/08/2019 - A EPE participou do Workshop sobre Diesel Renovável, evento promovido pelo IBP que ocorreu dia 5 de agosto, no Rio de Janeiro, e foi representada pelo Diretor de Estudos do Petróleo, Gás e Biocombustíveis, José Mauro Coelho, que participou como palestrante no primeiro painel, sobre “Perspectivas para o uso de diesel renovável na matriz brasileira”.