EPE publica Plano Indicativo de Processamento e Escoamento de Gás Natural - PIPE

O Plano Indicativo de Processamento e Escoamento de Gás Natural - PIPE tem como objetivo apresentar os projetos de gasodutos de escoamento e unidades de processamento de gás natural (UPGNs) previstos para construção e entrada em operação no Brasil, além dos projetos que podem vir a ser implementados nos próximos anos no País, de forma indicativa.

Este estudo constitui-se em uma ferramenta de planejamento para o setor de gás natural, além de permitir uma série de ganhos para os agentes de mercado e a sociedade, reduzindo a assimetria de informação sobre potenciais de produção líquida, capacidade de processamento, condicionantes socioambientais e propostas de traçados, contribuindo para a identificação pela indústria de oportunidades de novos gasodutos e UPGNs que não tenham sido capturadas no ciclo de planejamento vigente. Além disso, contribui para a coordenação de expectativas e interesses entre os agentes da indústria de gás natural visando à promoção de investimentos em gasodutos de escoamento e plantas de processamento de gás natural no País.

O presente Plano apresenta um breve panorama da infraestrutura de escoamento e processamento de gás natural existente, prevista e indicativa no Brasil. Em seguida, são abordadas a metodologia utilizada para a escolha das alternativas de expansão das rotas de escoamento e posterior processamento, bem como as análises técnicas, econômicas e socioambientais realizadas, sendo descritas as alternativas analisadas pela EPE. Ao final, os resultados do estudo são apresentados de forma resumida e comentados de forma conjunta, avaliando-se os condicionantes que podem influenciar na sua viabilidade, bem como nas perspectivas de implementação de cada projeto.

No presente ciclo do PIPE, foram mapeados 11 projetos indicativos de gasodutos de escoamento (totalizando cerca de 2.100 km de extensão) conectados a UPGNs, sendo 7 deles baseados em volumes de gás natural provenientes do pré-sal e 4 baseados em volumes de gás natural provenientes do Pós-Sal. Os investimentos referentes aos projetos estudados totalizam cerca de R$ 40 bilhões, sendo que as despesas esperadas dependerão da escolha do traçado a ser construído dentre as opções mapeadas para cada projeto.

Plano Indicativo de Processamento e Escoamento de Gás Natural - PIPE 

Notícias Relacionadas

EPE palestra no Quartel General do Exército Brasileiro em Brasília

14/11/2019 - A EPE esteve no Quartel General do Exército Brasileiro, em Brasília, na última terça (12) para proferir palestra aos Oficiais Generais e Superiores do Exército Brasileiro, que ocorreu no Departamento de Ciência e Tecnologia do Exército.

EPE abre Consulta Pública do documento Zoneamento Nacional de Recursos de Óleo e Gás 2019

14/11/2019 - A Empresa de Pesquisa Energética - EPE abre em 14/11/2019 a Consulta Pública do documento “Zoneamento Nacional de Recursos de Óleo e Gás 2019”. O Zoneamento é um estudo contínuo realizado em ciclos pela EPE para apoiar o Ministério de Minas e Energia - MME na elaboração do planejamento energético do País.

EPE e IEA convidam para o evento: Technical Workshop Brazilian Power System Transformation

14/11/2019 - O Setor Elétrico Brasileiro deverá sofrer mudanças significativas em um futuro próximo. O aumento da penetração das energias renováveis surge com o impulso de modernizar o sistema de energia, possibilitando a introdução de novas tecnologias no setor.

A Empresa de Pesquisa Energética publica o Anuário Estatístico de Energia Elétrica 2019

14/11/2019 - A Empresa de Pesquisa Energética - EPE disponibiliza as planilhas eletrônicas (Workbook) do Anuário Estatístico de Energia Elétrica 2019 (Ano base 2018), nas quais estão disponíveis os dados consolidados de consumo de energia elétrica nos últimos cinco anos. Em 2018, o consumo de eletricidade na rede no país cresceu 1,6% em relação a 2017, que já tinha sofrido um aumento de 1,2% em relação ao ano anterior, alcançando 474,82 TWh, mantendo o Brasil entre os dez maiores consumidores do mundo

EPE publica Boletim Trimestral de Energia Eólica

12/11/2019 - A Empresa de Pesquisa Energética publica o Boletim Trimestral de Energia Eólica, que registra um histórico de mais de 7 anos, iniciado em janeiro de 2012, da disponibilidade mensal da energia primária (índice de energia) e do potencial de transformação dessa energia em energia elétrica (índice de produção) de três “bacias” eólicas brasileiras que congregam os Estados do Rio Grande do Sul, Rio Grande do Norte, Ceará, Piauí, Bahia e Pernambuco.