EPE promove 1º Workshop Estudos de Expansão da Malha Dutoviária do País

No dia 29 de março de 2019, foi realizado pela Empresa de Pesquisa Energética o 1º Workshop Estudos de Expansão da Malha Dutoviária do País, com a participação do Ministério de Minas e Energia (MME), da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), da Associação de Empresas de Transporte de Gás Natural por Gasoduto (ATGÁS) e de Transportadores de Gás Natural (TBG, NTS, TSB). 

O Decreto nº 9.616, de 17 de dezembro de 2018, instituiu em seu Artigo 1º que “a EPE elaborará os estudos de expansão da malha dutoviária do País considerando os planos de investimentos dos transportadores, as informações de mercado e as diretrizes do Ministério de Minas e Energia”. Neste sentido, os estudos de expansão da malha dutoviária serão publicados na forma do Plano Indicativo de Gasodutos, onde serão apresentadas análises sobre alternativas de gasodutos de transporte em relação a alguns cenários de oferta e demanda, incluindo avaliações técnicas, econômicas e socioambientais das diversas alternativas de projetos.

No evento foram apresentadas algumas opções preliminares elencadas pela EPE para serem avaliadas no Plano Indicativo de Gasodutos, e os transportadores puderam comentar sobre as suas expectativas quanto a possíveis ampliações na infraestrutura de transporte de gás natural nos próximos 10 anos. De forma geral, os seguintes assuntos foram abordados no evento: (i) perspectivas para o transporte de gás natural; (ii) oportunidades de expansão da malha de gasodutos de transporte; e (iii) planos de investimento dos transportadores. Clique aqui  e acesse a apresentação que disponibilizamos. 

Dentro de um cronograma estabelecido, a EPE publicará o Plano Indicativo de Gasodutos em setembro desse ano.


_MG_9071.JPG

Presidente da EPE, Thiago Barral


_MG_9082.JPG

Diretor de Estudos do Petróleo, Gás e Biocombustíveis, José Mauro Ferreira Coelho

_MG_9087.JPG
Secretário de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis do MME, Márcio Felix.


Notícias Relacionadas

EPE, ONS e Aneel divulgam Nota Técnica com Metodologia, Premissas e Critérios para o cálculo das margens do Leilão de Energia Nova A-4/2020

10/01/2020 - A Empresa de Pesquisa Energética - EPE divulga Nota Técnica conjunta com o Operador Nacional do Sistema - ONS (EPE-DEE-RE-0103/2019/ONS NT 135/2019) referentes à metodologia, premissas, critérios e configuração do sistema elétrico

EPE conclui cadastramento dos projetos para os Leilões de Energia Existente A-4 e A-5 de 2020

08/01/2020 - Foi concluído, em 07/01/2020, o cadastramento dos projetos para participação nos Leilões de Energia Existente A-4 e A-5 de 2020. Anunciado pelo Ministério de Minas e Energia por meio da Portaria nº 389/2019, os Leilões estão previstos para serem realizados de forma sequencial em 30 de abril

EPE Publica Informe Técnico sobre Potencial Energético dos Resíduos Urbanos - SIENergia

02/01/2020 - Com o intuito de esclarecer a situação, reduzir a assimetria de informação e promover o debate pela sociedade, esse Informe Técnico integra e atualiza dados de trabalhos anteriores e avança no sentido dos conceitos de Economia Circular e de Cidades Inteligentes.

EPE publica informe sobre Mercado Internacional de GNL 2018-2019

30/12/2019 - A publicação busca apresentar o panorama do mercado internacional do GNL, destacando as suas principais características, prospectando suas tendências e analisando os seus principais impactos no Brasil. O estudo traz também as principais características do mercado nacional de GNL, a situação atual e as principais evoluções esperadas no âmbito do Novo Mercado de Gás para esta indústria no País.

EPE Publica Informe Técnico sobre os Leilões de Energia de 2019

30/12/2019 - Em 2019 foram promovidos cinco importantes Leilões para contratação de energia, tendo a grande maioria participação direta da EPE no processo de habilitação e qualificação técnica e no apoio ao desenho das diretrizes. Os resultados dos Leilões “A-4” e “A-6” garantiram uma expansão da matriz de forma diversificada e com custos competitivos, beneficiando diretamente os consumidores de energia.