EPE participa do XXV Seminário de Engenharia de Energia

​A EPE, representada pelo Diretor de Estudos do Petróleo, Gás e Biocombustíveis, José Mauro Ferreira Coelho, participou, no dia 05/04/2019, do evento XXV Seminário de Engenharia de Energia como palestrante do tema “Planejamento e Perspectivas para o setor Sucroenergético”.

Foram apresentadas a Matriz Energética Brasileira e de Biocombustíveis, além de reforçada a importância do Programa RenovaBio, que é uma política de Estado que tem como objetivo principal traçar uma estratégia conjunta para reconhecer o papel de todos os tipos de biocombustíveis na matriz energética brasileira, tanto para a segurança energética quanto para mitigação de redução de emissões de gases causadores do efeito estufa. O RenovaBio não propõe a criação de imposto sobre carbono, subsídios, crédito presumido ou mandatos volumétricos de adição de biocombustíveis a combustíveis. Além disso, pode gerar uma maior competitividade no setor Sucroenergético e maiores investimentos, com geração de emprego e renda.

O Programa foi sancionado pela Lei 13.576, de 26 de dezembro de 2017, e tem como objetivos gerais: contribuir para o atendimento aos compromissos do País no âmbito do Acordo de Paris; contribuir com a adequada relação de eficiência energética e de redução de emissões de gases causadores do efeito estufa na produção, na comercialização e no uso de biocombustíveis; promover a adequada expansão da produção e do uso de biocombustíveis na matriz energética nacional; além de contribuir com previsibilidade para a participação competitiva dos diversos biocombustíveis no mercado nacional de combustíveis.

Os principais Instrumentos do RenovaBio são:

1)      Metas Nacionais de Descarbonização: Estabelecimento de metas anuais de redução de intensidade de carbono (gCO2/MJ) na matriz de combustíveis para um período mínimo de dez anos.

2)      Certificação da Produção de Biocombustíveis: Atribuição por uma firma inspetora de Nota de Eficiência Energética–Ambiental para cada produtor. Nota representa a diferença entre a intensidade de carbono do combustível fóssil substituto e a intensidade de carbono estabelecida no processo de certificação.

3)      Créditos de Descarbonização (CBIO): Ativo financeiro, negociado em bolsa, emitido pelo produtor de biocombustível no momento da comercialização. Os distribuidores de combustíveis cumprirão a meta de descarbonização ao comprovar a propriedade dos CBIO sem sua carteira.

Além disso, na apresentação foram abordadas as Perspectivas para o setor Sucroenergético, inclusive sobre Bioeletricidade e Biogás.

O evento foi realizado na PUC Minas - MG e foi um seminário aberto ao público em geral.

Cartaz.png

Notícias Relacionadas

EPE REALIZA I “WORKSHOP” DO MERCADO DE ENERGIA ELÉTRICA DO CICLO 2020

02/06/2020 - A primeira edição de 2020 do Workshop do Mercado de Energia Elétrica no âmbito da COPAM (Comissão Permanente de Análise e Acompanhamento do Mercado de Energia Elétrica) ocorreu no dia 21 de maio por videoconferência.

EPE projeta impactos da Covid-19 no mercado brasileiro de combustíveis

02/06/2020 - Os desdobramentos das medidas adotadas com o objetivo de conter a disseminação da pandemia da Covid-19 provocaram um grande impacto na demanda de combustíveis. Para analisar suas consequências no comportamento do mercado brasileiro, a EPE projetou três trajetórias, de 2020 até 2022, que contemplam hábitos de consumo da população e períodos de isolamento social.

Resenha de Maio reflete impactos da pandemia da COVID-19

29/05/2020 - O consumo de energia elétrica na rede em abril apresentou retração de 6,6% em relação a igual período do ano anterior, refletindo os impactos da pandemia da COVID-19 nas classes de consumo, principalmente, nas classes comercial (-17,9%) e industrial (-12,4%).

EPE publica Instruções para Apresentação de Planejamento dos Sistemas Isolados

28/05/2020 - EPE publica a atualização das "Instruções para Apresentação de Proposta de Planejamento do Atendimento aos Sistemas Isolados". Nesse ciclo de 2020, assim como já realizado no ciclo anterior, as propostas deverão ser submetidas à EPE exclusivamente por meio do Sistema de Acompanhamento dos Sistemas Isolados – SASI, plataforma desenvolvida com o objetivo de automatizar e agilizar os processos de coleta e de análise dos dados de planejamento das distribuidoras.

Heloísa Borges Esteves é eleita Diretora de Petróleo, Gás e Biocombustíveis da EPE

25/05/2020 - A Empresa de Pesquisa Energética (EPE), anuncia a nomeação e posse de Heloísa Borges Esteves como Diretora de Estudos do Petróleo, Gás e Biocombustíveis. Para assumir a nova função da EPE, ela deixa o posto que ocupava à frente da Superintendência de Promoção de Licitações da Agência Nacional do Petróleo (ANP).