EPE participa do Brasil Solar Power 2018

O Brasil Solar Power já está em sua 3ª edição. O evento oficial do setor fotovoltaico brasileiro estava agendado para os dias 12 e 13 de junho de 2018, mais uma vez no Rio de Janeiro, no Centro de Convenções SulAmérica. O congresso torna-se ainda mais oportuno devido o atual cenário do setor elétrico, com a retomada dos leilões, o preço dos equipamentos em queda e as novas opções de financiamento.

bsp.jpg

Neste ano, a programação foi dedicada à Geração Centralizada (GC) e Geração Distribuída (GD). Foram convidados para instituir o congresso grandes nomes nacionais e internacionais do setor FV, as principais autoridades do setor elétrico brasileiro, os executivos das mais importantes empresas do setor e acadêmicos.

Além das palestras, o Brasil Solar Power contou com a feira de negócios, que apresentou players nacionais e internacionais, fabricantes de módulos, inversores, cabos, estruturas, EPCistas e entre outros. Os destaque do congresso foram os workshops abertos, que trouxeram novidades do setor, pesquisas de mercado, novas tecnologias e cases de sucesso. 

A EPE  participou nos dois dias do evento. No primeiro (12), o consultor técnico II da Superintendência de Projetos de Geração, Gustavo Pires da Ponte, integrou o Congresso de Geração Centralizada, no painel 1: Usinas Solares Fotovoltaicas. O especialista apresentou sobre o tema “Resumo dos projetos dos leilões e contextualização no Brasil”. 

Já no segundo dia (13), o diretor de Estudos de Energia Elétrica, Amilcar Gonçalves Guerreiro, participou como debatedor do Talk Show com as Lideranças do Setor Elétrico Brasileiro (GD e GC). Foi um debate dinâmico que abordou questões como as propostas de atualização do marco legal do setor elétrico brasileiro e suas oportunidades e consequências para a fonte, tanto para a geração centralizada quanto para a geração distribuída.

Foto03.jpg


Foto 4.jpg


Panorama.jpg


Notícias Relacionadas

Resenha Mensal: Consumo de Energia Elétrica Caiu em Junho

30/07/2018 - Greve Dos Caminhoneiros Impactou O Consumo De Energia Elétrica No Mês O consumo de energia elétrica na rede totalizou 37.791 GWh em junho, volume 0,4% inferior ao do mesmo mês de 2017. A região Norte (-10,4%) puxou este resultado em função da queda da atividade de consumidores eletrointensivos industriais do norte do país.

Estudos Socioambientais da Usina Hidrelétrica Bem Querer: Reuniões públicas para divulgação do início dos estudos

20/07/2018 - De 23 a 28 de julho a Empresa de Pesquisa Energética – EPE promoverá Reuniões Públicas para divulgar o início dos estudos socioambientais da Hidrelétrica Bem Querer. O objetivo das reuniões é apresentar as principais atividades previstas na execução dos estudos socioambientais, a equipe responsável pelos estudos, além de informações sobre a usina e o processo de licenciamento ambiental.

Nota discute impactos dos Recursos Energéticos Distribuídos no planejamento energético

12/07/2018 - Com visão de longo prazo voltada para as transformações pelas quais os mercados de energia elétrica vêm passando, a EPE publica Nota de Discussão com o objetivo de identificar desafios para o planejamento energético e explorar caminhos para lidar com as perspectivas de aumento na inserção de recursos energéticos distribuídos.

Com apoio da EPE, webinar sobre consumo de energia com ar condicionado é promovido pela Agência Internacional de Energia

11/07/2018 - Webinar inaugura série focada no tema da eficiência energética A Agência Internacional de Energia (AIE), à qual o Brasil se associou no ano passado, promove no próximo dia 25 de julho, com apoio da EPE e do MME, um webinar sobre o relatório “The Future of Cooling - Opportunities for energy efficient air conditioning” (O Futuro da Climatização: Oportunidades para condicionamento de ar energeticamente eficiente), publicado em maio deste ano pela AIE.

EPE publica estudo de expansão da transmissão para a Zona da Mata Mineira

06/07/2018 - Foi emitido no dia 26 de junho o “Estudo de Atendimento à Zona da Mata Mineira e Região da Mantiqueira”, elaborado pela equipe da Superintendência de Transmissão de Energia (STE) em conjunto com a Superintendência de Meio Ambiente (SMA). O estudo contou com a colaboração e participação efetiva de duas distribuidoras – Energisa Minas Gerais e Cemig Distribuição – além de contribuições de concessionárias de transmissão locais.