EPE participa da 3ª Reunião do Comitê RenovaBio

O Presidente Substituto e Diretor de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis, José Mauro Coelho, o Consultor Técnico da Área de Biocombustíveis, Rafael Barros Araujo e os Analistas de Pesquisa Energética, Kriseida Alekseev (SPT/DPG) e Dan Abensur Gandelman (DEE/SGE), compareceram no Ministério de Minas e Energia, nessa quarta-feira (18/04), para participar da 3ª Reunião do Comitê RenovaBio.

Compete ao Comitê RenovaBio, no âmbito da Lei 13.576/2017, enviar ao CNPE os limites máximos para as metas compulsórias de redução de emissões de gases intensificadores do efeito estufa (GEE), para a comercialização de combustíveis, além do monitoramento da oferta, da demanda e dos preços de Créditos de Descarbonização (CBios), que serão emitidos e negociados a partir da comercialização de biocombustíveis, entre outras funções.

A EPE apresentou o Modelo de Simulação do Preço do CBio, que determina os preços dos créditos de descarbonização a partir das demandas de combustíveis (etanol, gasolina, diesel, biodiesel e querosene de aviação) e das metas de redução de gases de efeito estufa.

Também participaram dessa reunião a Casa Civil, Ministério de Minas e Energia, Ministério da Fazenda, Ministério das Relações Exteriores, Ministério do Planejamento, Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento, Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil, Ministério do Meio Ambiente e Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis.

IMG-20180418-1.jpg

Na foto: da esquerda para direta - Kriseida Alekseev (SPT/DPG); José Mauro Coelho (Pres/DPG); 

Dan Abensur Gandelman (DEE/SGE) e Rafael Barros Araujo (SGB/DPG).


Notícias Relacionadas

EPE tem diversos artigos publicados no Anuário Cenários Eólica

15/01/2019 - A Brasil Energia lança a nova edição do anuário sobre o setor de energia eólica no país. Nele, além da qualidade editorial da equipe de jornalistas especializados da Brasil Energia, você terá acesso as contribuições exclusivas de importantes nomes do mercado de energia eólica, em especial, destacamos os colunistas da EPE:

Previsão de Carga para o Planejamento Anual da Operação Energética Ciclo 2019 (2019-2023)

11/01/2019 - O documento tem por objetivo apresentar o detalhamento das premissas e dos resultados da Previsão de carga para o Planejamento Anual da Operação Energética 2019-2023, elaborados em conjunto por Empresa de Pesquisa Energética – EPE, Operador Nacional do Sistema Elétrico - ONS e Câmara de Comercialização de Energia Elétrica – CCEE, antecipados no correspondente Boletim Técnico, divulgado no final do mês de novembro de 2019. Essas previsões de carga passaram a ser utilizadas a partir do Programa Mensal da Operação (PMO) de janeiro/2019.

Pela primeira vez, a EPE publica o Relatório de Planejamento para Atendimento aos Sistemas Isolados, Horizonte 2023 – Ciclo 2018

08/01/2019 - A Portaria MME nº 67/2018 publicada em março de 2018, solicita que os Agentes de Distribuição dos Sistemas Isolados elaborem proposta de planejamento para atendimento aos seus mercados consumidores situados em Sistemas Isolados, e as encaminhe para avaliação técnica da EPE e posterior aprovação do planejamento pelo Ministério de Minas e Energia (MME),

EPE realiza Lançamento de Notas Técnicas sobre Gás Natural

07/01/2019 - Ocorreu, no dia 18 de dezembro de 2018, no auditório da EPE, o evento “Lançamento de Notas Técnicas sobre Gás Natural”. Neste evento, organizado pela Diretoria de Estudos do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis da EPE, foram abordadas as perspectivas para a indústria de gás natural no Brasil nos próximos anos, tendo como pano de fundo três estudos publicados pela EPE no final de 2018.

EPE publica 5º Boletim de Conjuntura da Indústria do Petróleo

02/01/2019 - O quinto número do Boletim de Conjuntura da indústria do Petróleo apresenta o panorama da Venezuela. Detentor da maior reserva global de petróleo, este país enfrentou uma expressiva queda da produção devido às dificuldades enfrentadas pela indústria. A instabilidade político-econômica e restrições de acesso ao crédito em decorrência das sanções financeiras são alguns dos desafios que a Venezuela necessita solucionar para recuperar sua indústria petrolífera.