EPE participa da 1ª Reunião do Fórum Técnico Regional de Planejadores de Energia em Bogotá

No dia 05/06/2018 foi realizada em Bogotá, na sede do Ministério de Minas e Energia da Colômbia, a primeira reunião do Fórum Técnico Regional de Planejadores de Energia, organizado pela CEPAL, com o objetivo de fomentar o compartilhamento de experiências, conhecimentos e ferramentas de planejamento energético. A abertura foi feita pelo vice-ministro colombiano, Alonso Mayelo Cardona Delgado, e pelo Chefe da Unidade de Energia e Recursos Naturais da CEPAL, Manlio Coviello.

A EPE esteve representada pelo diretor Thiago Barral. A ANEEL e o MME também estiverem representados, pelo assessor de diretor Carlos Eduardo Cabral Carvalho e pelo diretor Ubiratan Castellano, respectivamente. Além do Brasil, a reunião contou com representantes da Colômbia, México, Panamá, Peru, Uruguai, Chile, Bolívia, além das instituições parceiras OLADE, BID e IRENA. Essa reunião deu sequência aos entendimentos da reunião preparatória realizada nas dependências da EPE em março deste ano.

article.jpg

Foto: Ministerio de Minas y Energía de Colombia.


Na parte da manhã, os países definiram ações prioritárias e negociaram apoio das instituições parceiras para estudos específicos, abrangendo inventário de práticas de planejamento dos países, projeção de custos de renováveis, estudos de flexibilidade em sistemas elétricos, entre outros. Na parte da tarde foram exploradas sinergias com outras iniciativas e atores na região, tendo sido convidadas diversas outras instituições, como GIZ, CAF, CIER, KfW e GEIDCO. 

A próxima reunião do Fórum está prevista para novembro deste ano, em Santiago, Chile.


Notícias Relacionadas

EPE tem diversos artigos publicados no Anuário Cenários Eólica

15/01/2019 - A Brasil Energia lança a nova edição do anuário sobre o setor de energia eólica no país. Nele, além da qualidade editorial da equipe de jornalistas especializados da Brasil Energia, você terá acesso as contribuições exclusivas de importantes nomes do mercado de energia eólica, em especial, destacamos os colunistas da EPE:

Previsão de Carga para o Planejamento Anual da Operação Energética Ciclo 2019 (2019-2023)

11/01/2019 - O documento tem por objetivo apresentar o detalhamento das premissas e dos resultados da Previsão de carga para o Planejamento Anual da Operação Energética 2019-2023, elaborados em conjunto por Empresa de Pesquisa Energética – EPE, Operador Nacional do Sistema Elétrico - ONS e Câmara de Comercialização de Energia Elétrica – CCEE, antecipados no correspondente Boletim Técnico, divulgado no final do mês de novembro de 2019. Essas previsões de carga passaram a ser utilizadas a partir do Programa Mensal da Operação (PMO) de janeiro/2019.

Pela primeira vez, a EPE publica o Relatório de Planejamento para Atendimento aos Sistemas Isolados, Horizonte 2023 – Ciclo 2018

08/01/2019 - A Portaria MME nº 67/2018 publicada em março de 2018, solicita que os Agentes de Distribuição dos Sistemas Isolados elaborem proposta de planejamento para atendimento aos seus mercados consumidores situados em Sistemas Isolados, e as encaminhe para avaliação técnica da EPE e posterior aprovação do planejamento pelo Ministério de Minas e Energia (MME),

EPE realiza Lançamento de Notas Técnicas sobre Gás Natural

07/01/2019 - Ocorreu, no dia 18 de dezembro de 2018, no auditório da EPE, o evento “Lançamento de Notas Técnicas sobre Gás Natural”. Neste evento, organizado pela Diretoria de Estudos do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis da EPE, foram abordadas as perspectivas para a indústria de gás natural no Brasil nos próximos anos, tendo como pano de fundo três estudos publicados pela EPE no final de 2018.

EPE publica 5º Boletim de Conjuntura da Indústria do Petróleo

02/01/2019 - O quinto número do Boletim de Conjuntura da indústria do Petróleo apresenta o panorama da Venezuela. Detentor da maior reserva global de petróleo, este país enfrentou uma expressiva queda da produção devido às dificuldades enfrentadas pela indústria. A instabilidade político-econômica e restrições de acesso ao crédito em decorrência das sanções financeiras são alguns dos desafios que a Venezuela necessita solucionar para recuperar sua indústria petrolífera.