EPE e MME promovem 2º Workshop de Políticas Públicas para o Plano Nacional de Energia 2050

Image2018-05-03-1.jpeg
2º Workshop de Políticas Públicas para o PNE 2050

A EPE esteve presente no 2º Workshop de Políticas Públicas para o Plano Nacional de Energia 2050 no dia 3 de maio, quinta-feira, em Brasília. O evento foi coordenado pelo Ministério de Minas e Energia (MME) junto da Empresa de Pesquisa Energética (EPE). Participaram a convite do MME, instituições como Ipea, BNDES, bancos públicos, Finep, e representantes de outros ministérios, entidades e órgãos da Administração Pública ligados à área econômica.  

A cerimônia de abertura contou com o secretário de Geologia, Mineração e Transformação Mineral, Vicente Humberto Lôbo, o diretor do departamento de Informações e Estudos Energéticos, Ubiratan Francisco Castellano, e o assessor da presidência da EPE, Emílio Matsumura. Por parte da EPE participaram, também, o diretor de Estudos Econômicos Thiago Barral, o consultor técnico Gustavo Naciff e a analista Isabela Oliveira. 


Image2018-05-03-2.jpeg
2º Workshop de Políticas Públicas para o PNE 2050


O workshop abordou temas de demografia, economia, financiamento e
seu impacto na formulação de cenários.  Representando a EPE, Emílio fez uma apresentação sobre os trabalhos em andamento para elaboração do PNE 2050 e explicou sobre a dinâmica do workshop e a importância das contribuições de todos.

Outros dois workshops estão previstos na agenda de 2018, nos meses de maio e junho. Terão a participação de associações do setor energético, entidades de ensino, CT&I (ciência, tecnologia e inovação), sociedade civil e outras instâncias de governo.



Notícias Relacionadas

EPE tem diversos artigos publicados no Anuário Cenários Eólica

15/01/2019 - A Brasil Energia lança a nova edição do anuário sobre o setor de energia eólica no país. Nele, além da qualidade editorial da equipe de jornalistas especializados da Brasil Energia, você terá acesso as contribuições exclusivas de importantes nomes do mercado de energia eólica, em especial, destacamos os colunistas da EPE:

Previsão de Carga para o Planejamento Anual da Operação Energética Ciclo 2019 (2019-2023)

11/01/2019 - O documento tem por objetivo apresentar o detalhamento das premissas e dos resultados da Previsão de carga para o Planejamento Anual da Operação Energética 2019-2023, elaborados em conjunto por Empresa de Pesquisa Energética – EPE, Operador Nacional do Sistema Elétrico - ONS e Câmara de Comercialização de Energia Elétrica – CCEE, antecipados no correspondente Boletim Técnico, divulgado no final do mês de novembro de 2019. Essas previsões de carga passaram a ser utilizadas a partir do Programa Mensal da Operação (PMO) de janeiro/2019.

Pela primeira vez, a EPE publica o Relatório de Planejamento para Atendimento aos Sistemas Isolados, Horizonte 2023 – Ciclo 2018

08/01/2019 - A Portaria MME nº 67/2018 publicada em março de 2018, solicita que os Agentes de Distribuição dos Sistemas Isolados elaborem proposta de planejamento para atendimento aos seus mercados consumidores situados em Sistemas Isolados, e as encaminhe para avaliação técnica da EPE e posterior aprovação do planejamento pelo Ministério de Minas e Energia (MME),

EPE realiza Lançamento de Notas Técnicas sobre Gás Natural

07/01/2019 - Ocorreu, no dia 18 de dezembro de 2018, no auditório da EPE, o evento “Lançamento de Notas Técnicas sobre Gás Natural”. Neste evento, organizado pela Diretoria de Estudos do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis da EPE, foram abordadas as perspectivas para a indústria de gás natural no Brasil nos próximos anos, tendo como pano de fundo três estudos publicados pela EPE no final de 2018.

EPE publica 5º Boletim de Conjuntura da Indústria do Petróleo

02/01/2019 - O quinto número do Boletim de Conjuntura da indústria do Petróleo apresenta o panorama da Venezuela. Detentor da maior reserva global de petróleo, este país enfrentou uma expressiva queda da produção devido às dificuldades enfrentadas pela indústria. A instabilidade político-econômica e restrições de acesso ao crédito em decorrência das sanções financeiras são alguns dos desafios que a Venezuela necessita solucionar para recuperar sua indústria petrolífera.