EPE disponibiliza o Caderno de Demanda de Eletricidade

Os estudos de demanda deste Caderno foram balizados por três cenários econômicos, descritos no Caderno de Economia - Número 1, publicado em fevereiro de 2018: referência e alternativos inferior e superior.

Entre as perspectivas setoriais, um segmento industrial com grande destaque nos três cenários é o de celulose, mas seu impacto no consumo na rede é baixo, pois tem alto potencial de autoprodução a partir da lixívia.

Não há perspectiva de aumento da capacidade instalada de alumínio primário, mas a retomada parcial da utilização da capacidade instalada atual prevista nos três cenários gera grande impacto no consumo de eletricidade na rede.

Após um período de estagnação do consumo brasileiro de eletricidade na rede, que em 2017 chegou a nível semelhante ao de 2013, espera-que cresça à taxa de 3,6% anuais até 2032. 

No cenário alternativo inferior, espera-se um ritmo de crescimento da atividade econômica mais lento, mas ainda assim o consumo na rede tem incremento de 3,1% anuais. 

Já no cenário alternativo superior, a economia mais aquecida mostra maior necessidade de eletricidade, refletida na taxa de 3,9% ao ano do consumo na rede.

No que se refere ao comportamento da elasticidade-renda da economia brasileira, espera-se que, para níveis inferiores de incremento do PIB, sejam atingidos níveis superiores deste indicador e, quanto maior o crescimento da economia, observem-se valores menores da  elasticidade-renda. Esta expectativa é refletida nos resultados atingidos para os três cenários adotados neste estudo: referência (elasticidade-renda de 1,23) e alternativos inferior (1,44) e superior (1,13).

Os diferentes cenários também refletem incrementos distintos para a expansão da carga de energia do Sistema Interligado Nacional (SIN). Para os próximos 15 anos, espera-se que haja uma expansão média anual de 2,9 GWmédios no cenário de referência, enquanto nos cenários alternativos inferior e superior há incrementos de 2,6 e 3,2 GWmédios anuais, respectivamente.

Clique no link para acessar o Caderno de Demanda de Eletricidade

Notícias Relacionadas

Webinar: Múltiplos Benefícios da Eficiência Energética

12/09/2018 - Com apoio da EPE e do MME, no próximo dia 19/09/2018, a Agência Internacional de Energia (AIE) promoverá webinar sobre os múltiplos benefícios da eficiência energética. O foco tradicional para promoção da eficiência energética normalmente acaba por desconsiderar benefícios tais como contribuição à sustentabilidade do setor energético, desenvolvimento social e econômico e benefícios ambientais, entre outros.

MME reabre prazo de cadastramento dos projetos para os Leilões de Energia Existente A-1 e A-2

11/09/2018 - Publicada pelo MME a Portaria n° 383/2018 que reabriu o prazo de cadastramento dos projetos interessados em participar dos Leilões de Energia Existente A-1 e A-2. Os empreendedores poderão cadastrar os projetos no Sistema AEGE e entregar os documentos necessários à Qualificação Técnica na EPE até às 12 horas do dia 14 de setembro de 2018.

INFORME Mercado Internacional de GNL 2017-2018

03/09/2018 - O mercado de GNL tem se mostrado cada vez mais dinâmico, com maior liquidez e tendendo à comoditização. Assim como no ano anterior, em 2017, expectativas de uma oferta excedente do combustível no mundo acabaram por não se concretizar, sendo compensada pelo concomitante aumento na demanda de GNL da China. A capacidade de se adequar às condições adversas de mercado vem demonstrando a maturidade cada vez maior da indústria de GNL.

Resenha Mensal: Consumo de eletricidade subiu 1,4% em julho

31/08/2018 - O consumo de eletricida-de na rede totalizou 37.894 GWh em julho, volume 1,4% maior que o registrado nesse mês em 2017. Houve aumento no Su-deste (+2,0%) e Sul (+2,4%), regiões que concentram por volta de 70% do mercado de ele-tricidade no país, e tam-bém no Centro Oeste (+3,2%) e Nordeste (+2,2%), enquanto caiu o consumo no Norte (-7,6%).

EPE participa da 7ª Conferência de Energia e Recursos Naturais da América Latina

31/08/2018 - A transformação do setor de Energia e Recursos Naturais, que vem acelerando, de forma constante, a tecnologia que tem transformado os negócios, a massificação da busca por energia renovável pelas grandes empresas do setor e os direcionamentos governamentais mostram que os altos executivos do setor precisam encontrar maneiras cada vez mais assertivas de como inovar dentro do mercado para permanecer sustentável no curto e no longo prazo. Neste momento os tomadores de decisão precisam compartilhar ideias e obter insights de executivos de todo o mundo de forma a mergulhar nos principais desafios atuais.