ANP divulga resultado de TPC sobre substituição de GNL importado por gás doméstico

ANP está divulgando a consolidação das respostas à Tomada Pública de Contribuições (TPC) 05/2018, realizada em conjunto com a Empresa de Pesquisa Energética (EPE). A TPC teve o o objetivo de coletar contribuições para avaliar mecanismos de substituição do gás natural liquefeito (GNL) importado por gás doméstico (de produção nacional) nos contratos de fornecimento de gás, quando projetos de produção estiverem concluídos, tendo em vista que podem contribuir para a redução dos custos de geração de energia elétrica, incluindo benefícios econômicos aos consumidores de energia. A TPC não teve como objetivo qualquer alteração em contratos vigentes. A discussão tratou somente de cláusulas que poderão ser usadas em contratos futuros.

Durante a TPC, realizada de 20/09/2018 e 24/10/2018, foram recebidas oito contribuições da Associação Brasileira das Empresas Distribuidoras de Gás Canalizado (Abegás), Associação Brasileira da Indústria Química (Abiquim), Associação Brasileira de Geradoras Termelétricas (ABRAGET), Comgás, Eneva, Equinor, Instituto Brasileiro de Petróleo, Gás e Biocombustíveis (IBP) e Petrobras.

A análise das contribuições recebidas mostrou a preocupação com os temas de defesa da livre iniciativa na escolha do fornecedor de gás e do respeito aos contratos. Como uma parcela significativa do consumo de gás natural destina-se às termelétricas, os mecanismos para substituição de GNL envolvem discussões sobre a integração entre os setores de gás natural e elétrico. As contribuições recebidas reforçam que, dada a complexidade do tema, faz-se necessária uma discussão abrangente envolvendo os seguintes tópicos:

- Boas práticas internacionais com relação a este procedimento, considerando a situação específica do Brasil;

- Aspectos relativos às regras do setor elétrico, especialmente no que tange às cláusulas econômicas associadas aos custos de combustível, ao longo do contrato de energia elétrica;

- Participação da Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) e dos principais agentes envolvidos (supridores de gás, associações de usinas termelétricas, dentre outros) devido às características e implicações do tema, seria importante a em discussões futuras.

Consulte aqui a consolidação das contribuições recebidas durante a TPC 05/2018.

Fonte: ANP

Publicado: Terça, 15 de Janeiro de 2019, 16h42

Atualizado: Terça, 15 de Janeiro de 2019, 16h44


Notícias Relacionadas

EPE lança o Informe Técnico - Competitividade do Gás Natural: Estudo de Caso na Indústria de Metanol

14/10/2019 - Com o objetivo de avaliar o potencial de entrada de novas unidades industriais intensivas em gás natural, alinhado ao programa “Novo Mercado de Gás”, a EPE lança o seu segundo Informe Técnico: "Competitividade do Gás Natural: Estudo de Caso na Indústria de Metanol".

EPE publica o Plano Indicativo de Gasodutos de Transporte – PIG

11/10/2019 - O Plano Indicativo de Gasodutos de Transporte - PIG é parte dos estudos de planejamento energético realizados pela EPE no setor de gás natural, e busca apresentar as análises realizadas pela EPE quanto aos gasodutos de transporte que podem vir a ser implementados nos próximos anos no Brasil, de forma indicativa, com base em estudos de oferta e demanda, além de análises técnico-econômicas e socioambientais.

Workshop “O Leilão de Transmissão nº 002/2019 e os Estudos de Planejamento

10/10/2019 - No dia 31/10/2019, será realizado um workshop nos escritórios da EPE, no Rio de Janeiro, com o objetivo de nivelar as informações técnicas dos lotes que serão ofertados no Leilão de Transmissão nº 002/2019.

EPE em parceria com o Instituto Escolhas realiza Workshop sobre setor de energia e o sistema financeiro

10/10/2019 - No dia 12 de setembro ocorreu no auditório da EPE o Workshop "Como o Setor de Energia e o Sistema Financeiro podem incorporar os riscos não financeiros em seu planejamento?", organizado pela EPE em parceria com o Instituto Escolhas.

EPE participa do FGV Energia – Boletim de Conjuntura do Setor Energético

10/10/2019 - O Boletim de Conjuntura do Setor Energético colocou mais uma vez a mobilidade elétrica em pauta, a discussão acerca desse tema é embasada pela visão de doze especialistas, nas sete colunas de opinião deste Boletim. A segunda coluna deste mês, de autoria dos analistas e consultores técnicos da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), Flávio Raposo de Almeida, Glaucio Vinicius Ramalho Faria, Luciano Basto de Oliveira e Natália Gonçalves de Moraes, aborda a eletrificação de ônibus no Brasil e apresenta a ferramenta de avaliação técnico-econômica de ônibus elétricos urbanos municipais desenvolvida pela empresa de pesquisa.