Agenda Internacional: Atividades e Resultados em 2018 são apresentados pela EPE

A EPE criou em 2018 sua área internacional (Núcleo de Coordenação da Agenda Internacional), como forma de fortalecer e coordenar a atuação da empresa junto a entidades, parceiros e iniciativas internacionais, em linha com o Planejamento Estratégico. Buscou-se, assim, aperfeiçoar a articulação institucional e orientar os esforços de forma eficiente.

Privilegiando a transparência pública, o resultado desse esforço está apresentado no relatório que a EPE disponibiliza no link abaixo, com os principais destaques da atuação da EPE na agenda internacional. Estão identificados os principais parceiros, temáticas e atividades desempenhadas ao longo de 2018, resultando em 30 ações de capacitação, 19 apresentações feitas no exterior e mais de 45 reuniões/eventos com parceiros internacionais no Brasil, com destaque para os temas de energias renováveis, eficiência energética, biocombustíveis, gás natural e energia nuclear.

Entre os destaques, estão os trabalhos com a cooperação alemã, a colaboração com a Agência Internacional de Energia, Plataforma Biofuturo, NREL e Agência Internacional de Energia Atômica. Também se destaca a criação do Fórum Técnico Regional de Planejadores de Energia, com apoio da CEPAL e países latino-americanos, e a articulação brasileira no âmbito das iniciativas globais Mission Innovation e Clean Energy Ministerial.

Dessa forma, o planejamento energético brasileiro sai fortalecido, com maior acesso às melhores práticas e ferramentas disponíveis no mundo e maior projeção internacional das nossas próprias soluções inovadoras para os imensos desafios enfrentados na transição energética que o mundo vive na atualidade.

Você pode acessar e baixar o relatório clicando neste link.

Relatório Agenda Internacional 2018.jpg

Notícias Relacionadas

EPE, ONS e ANEEL divulgam Nota Técnica com Margens de Capacidade para Escoamento de Energia Elétrica para o Leilão de Energia Nova A-4 de 2020.

27/03/2020 - A Empresa de Pesquisa Energética - EPE divulga a Nota Técnica 25/2020, do Operador Nacional do Sistema (ONS), contendo os quantitativos da capacidade de escoamento de energia elétrica de todos os barramentos da Rede Básica, DIT (Demais Instalações de Transmissão) e ICG (Instalações Compartilhadas de Geração) indicados pelos empreendedores no Sistema AEGE no ato do cadastramento do Leilão de Energia Nova A-4 de 2020.

Impactado pela Covid-19, consumo de energia deve cair 0,9% em 2020

27/03/2020 - A Empresa de Pesquisa Energética – EPE, em conjunto com a Câmara de Comercialização de Energia Elétrica – CCEE e o Operador Nacional do Sistema Elétrico – ONS, divulga nesta sexta-feira, os dados da 1ª Revisão Quadrimestral de Carga de 2020 para o Planejamento Anual da Operação Energética – período 2020-2024. Impactado pelas medidas de contenção da Covid-19, o consumo de energia elétrica deve cair 0,9% no ano. A previsão anterior era crescer 4,2%.

Avaliação dos Benefícios Econômicos da Antecipação da Interligação dos Sistemas Isolados do Pará

27/03/2020 - A EPE publica estudo comparativo entre os custos de suprimento a 12 sistemas isoladas do Pará, avaliando os custos da geração local por termelétricas a diesel versus os custos da interligação dessas localidades ao SIN, por meio de redes de distribuição. A análise foi realizada com base na redução dos dispêndios futuros da Conta de Consumo de Combustíveis – CCC.

EPE publica Boletim Anual de Transmissão 2019

26/03/2020 - A EPE realizou análises técnico-econômicas e socioambientais que resultaram na recomendação de diversos novos empreendimentos de transmissão de eletricidade. Essas instalações irão agregar maior confiabilidade ao Sistema Interligado Nacional, aumentando a qualidade no atendimento elétrico aos consumidores brasileiros

Estudo sobre o Aproveitamento do Gás Natural do Pré Sal.

25/03/2020 - A publicação tem como foco o aumento do aproveitamento e da participação do gás natural do Pré-Sal na matriz energética do país, em linha com as diretrizes estabelecidas nas Resoluções nºs 10/2016, 17/2017 e 16/2019 do Conselho Nacional de Política Energética (CNPE), assim como as diretrizes estabelecidas no Programa Novo Mercado de Gás.